Caminhão danifica parte das milenares linhas de Nazca, no Peru

Um motorista saiu da estrada que atravessa a reserva natural, no último sábado, e entrou na área dos conhecidos geoglifos (desenhos na terra), considerados Patrimônio Mundial da Humanidade.

Por . - BBC Mundo

Algumas das milenares linhas de Nazca, no sul do Peru, foram danificadas por um caminhão no último sábado.

O motorista do veículo saiu da estrada que atravessa a reserva natural onde estão as linhas e entrou na área onde ficam os conhecidos geoglifos (desenhos de larga escala na terra), criados há quase 2 mil anos e considerados Patrimônio Mundial da Humanidade. As imagens vão desde traços geométricos até figuras complexas como aranhas, baleias e até macacos.

Como resultado, três figuras foram danificadas. Segundo o Ministério da Cultura do Peru, que fez uma inspeção no local, a passagem do caminhão criou "faixas profundas" em uma área aproximada de 50 metros de largura por 100 metros de comprimento.

Depois de danificar as linhas de Nazca, o motorista do caminhão voltou para a estrada e continuou seu caminho. Ele não sabia que outra pessoa, que também viajava pelo local, estava gravando tudo com o celular. O vídeo foi publicado nas redes sociais.

99837590hi044434330-ee90ed6ca836a8bc63cccd2d6305f11f.jpg O caminhão deixou marcas profundas nas linhas. / AFP

Vídeo viral

Pouco depois, o vídeo se tornou viral, a indignação se generalizou e as autoridades peruanas iniciaram uma operação para capturar o motorista. Ele foi localizado cerca de três horas depois, perto da cidade de Nazca.

https://www.youtube.com/watch?v=DZg-pB46axo

O suposto responsável, identificado como Jainer Vigo, alegou que entrou na área devido a problemas com as rodas do caminhão e disse que não sabia que se tratava de um local protegido.

Em seguida, Vigo foi liberado. As autoridades peruanas pediram que ele fique 9 meses em prisão preventiva.

O trajeto da estrada Panamericana, que atravessa o sítio arqueológico, tem diversas sinalizações advertindo os motoristas sobre a importância do local por onde estão passando. E, por mais que as espetaculares figuras geométricas e de animais só possam ser totalmente observadas a partir do céu, muitos trechos podem ser avistados a partir da estrada.

"Acidentes frequentes"

Não é a primeira vez que este sítio arqueológico, um dos mais misteriosos da América Latina, sofre danos desse tipo.

99837585hi044460587-3d8ca6b7edb9c6baa352685f3e50f2d8.jpg Os danos deixados pelo caminhão também são visíveis pelo céu. / EPA

Episódios como esse "ocorrem cotidianamente", de acordo com o responsável pela conservação das linhas de Nazca, Jhony Isla. "A diferença é que desta vez havia uma testemunha no local, que gravou e colocou o vídeo nas redes sociais. Mas essa é uma situação que ocorre constantemente. Também há pessoas que deixam lixo no local", declarou Isla para a emissora Radio Programas del Perú.

Entre os casos mais conhecidos de danos nas linhas de Nazca, está o protagonizado pelo Greenpeace em 2014. Os ativistas invadiram a área do famoso colibri para colocar banners reivindicando a proteção ambiental, em protesto durante a realização de uma conferência da ONU sobre o clima, que ocorria em Lima.

99837587gettyimages460363086-8d8d6733a6b223708eab61c732307a1b.jpg O colibri é uma das figuras mais complexas e emblemáticas de Nazca. / AFP

Un ano depois, outra pessoa invadiu a área e escreveu seu nome em um dos geoglifos.

Até hoje, o significado das linhas é desconhecido. Alguns pesquisadores consideram que se trata se um calendário. Outros alegam que era um observatório astronômico. Já os mais ousados afirmam que as linhas eram formas de comunicação com extraterrestres.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo