Polícia procura por cadáveres de crianças na casa da família Turpin

Por Metro Internacional

Quando as autoridades invadiram a casa dos Turpin, eles não estavam preparados para as atrocidades que encontrariam.

Os policiais descobriram que o casal e seus 13 filhos viviam em condições desumanas e as crianças, com idade entre 2 e 29 anos, estavam desnutridas, algumas acorrentadas a camas e eram completamente proibidas de sair de casa.

Agora, segundo o Debate, do México, o xerife de Riverside e sua equipe usarão cachorros para detectar possíveis sepulturas ou cadáveres de crianças, dada a possibilidade de que algumas de suas vítimas não tenham sobrevivido às condições extremas em que foram mantidas.

As autoridades não descartam que alguma criança ou bebê tenha morrido devido a fome, desidratação ou outros motivos.

Também foi apontado que as crianças e jovens serão submetidos a testes de DNA para provar seu parentesco, porque não se descarta a possibilidade de que algum dos 13 não seja filho biológico do casal.

A antiga casa dos Turpin

Em conversa com a CNN, Nellie Baldwin contou que comprou um imóvel da família em abril de 2011, por meio de uma hipoteca que havia expirado em Rio Vista, no Texas. Segundo ela, a casa "parecia que era inabitável".

"Eles passaram fezes nas paredes", disse Nellie, "a sala e todos os quartos tinham um cheiro terrível".

A casa pertencia a David e Louise Turpin e estava em tão condições tão ruins que os banqueiros não a deixaram ver a propriedade, a menos que assinasse uma cláusula que dizia que se ela ou alguém da sua família ficasse doente na casa, o banco não era responsável.

Além das fezes nas paredes, havia "lixo por onde você olhasse". O cheiro no interior era tão horrível que depois de um dia limpando a casa, Nellie teve que derramar vários litros de água sanitária no piso para enganar o mau cheiro e conseguir suportar mais uma limpeza no dia seguinte.

foto Reprodução / cnn
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo