Príncipe gay indiano vai acolher população LGBT em seu palácio

Por Metro Jornal com Reuters
Reuters
Príncipe gay indiano vai acolher população LGBT em seu palácio

O príncipe indiano Manvendra Singh Gohil vai construir um centro de acolhida da população LGBT em seu palácio. O herdeiro assume publicamente ser gay na Índia, onde são relações sexuais com pessoas do mesmo sexo são ilegais.

O palácio, que foi construído em 1927, será renovado e ampliado com a ajuda de doações online.

Leia mais:
Tati Quebra Barraco canta em casamento gay: Amo meu público LGBT
Capital da Turquia proíbe exibições e filmes LGBT

"Eu não vou ter filhos, então pensei: 'por que não uso esse espaço para um bom propósito?"", explicou Gohil. O príncipe quer que o centro tenha salas, instalações médicas e treinamento em inglês para ajudar as pessoas a encontrarem emprego.

O herdeiro do trono de Rajpipla, que fica no oeste do estado de Gujarat, contou como é difícil ser homossexual em um país onde os valores tradicionais e as relações heterossexuais são norma."As pessoas ainda enfrentam muita pressão de suas famílias, são obrigadas a se casar ou são expulsas de suas casas. Muitas vezes eles não têm para onde ir", disse.

Gohil deixou sua família há mais de dez anos e, desde então, criou o projeto Lakshya Trust, que ajuda a população LGBT de seu estado natal. O príncipe é um dos críticos da lei datada da era colonial que criminaliza relações sexuais consensuais entre adultos do mesmo sexo. Ele já fez inúmeras aparições na mídia internacional, inclusive no "The Oprah Winfrey Show".

A alta posição de Gohil na sociedade indiana ajudou bastante a comunidade LGBT, disse Harish Iyer, que é ativista dos direitos dos homossexuais. "Temos sorte de ter muitos espaços amigáveis ​​à população LGBT em cidades como Mumbai e Delhi. Mas em cidades menores, não há muitos lugares, e é aí que eles são mais necessários ", disse o ativista.

Loading...
Revisa el siguiente artículo