O hotel construído por ex-integrantes das Farc para recriar a vida de guerrilheiros na selva da Colômbia

Hotel Casa Verde permitirá que hóspedes vivam cotidiano simulado da maior guerrilha da América Latina.

Por Natalio Cosoy - BBC Mundo

Dormir nas profundezas da selva colombiana, caminhar por trilhas há tempos encaradas como proibidas e comer alimentos básicos cozidos em um forno improvisado.

O que pode soar como a rotina de um guerrilheiro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) poderá, depois de um acordo de paz do grupo com o governo, se tornar uma experiência para hóspedes de um hotel no mínimo atípico. Isto, claro, sem as armas e batalhas com forças oficiais de segurança.

Antigos membros da Farc estão construindo um hotel que simulará o que costumava ser sua rotina, em um local que já foi um dos postos de controle do grupo – a maior guerrilha associada a ideologias de esquerda do Ocidente.

Desmobilização – e depois?

O grupo paramilitar assinou um acordo de paz com o governo colombiano em novembro de 2016, levando à desmobilização da maioria de seus membros.

99539220farcplanting-41da37390b425c9199cd5410ec5578c6.jpg Ex-rebeldes têm se reunido em cooperativas após tratado de paz com o governo colombiano / BBC

Sob o acordo, cada ex-membro desmobilizado da Farc recebe 620.000 pesos colombianos (cerca de R$ 696) por mês, durante dois anos, para que possa fazer a transição para a vida civil.

Muitos ex-rebeldes têm usado o dinheiro para montar cooperativas nas áreas que costumavam controlar. A Cooperativa Gran Paz é uma delas e está por trás dos planos do hotel.

Einer López, um ex-comandante de uma unidade das Farc, está entusiasmado com o projeto.

"Fizemos isso com o nosso próprio esforço, usando a remuneração que recebemos", diz ele.

98990415img0832-bc560124d87173c25f6d97f1da8608c1.jpg Einer López está entusiasmado com a construção do empreendimento / BBC
99537517farc-99c19239de775c21298dbb40a810b6bf.jpg Ex-combatentes estão usando material de construção anteriormente destinado a esconderijos / BBC

O resultado é um edifício de um andar chamado de Casa Verde, em referência tanto às suas paredes esverdeadas quanto ao nome do antigo posto da guerrilha.

A construção fica perto do vilarejo de La Guajira, na província de Meta, onde dezenas de ex-rebeldes estão atualmente baseados em um campo de treinamento e reintegração sob os termos do acordo de paz.

Os ex-guerrilheiros esperam que, uma vez finalizado, o hotel seja sua principal fonte de renda – complementada com o cultivo de bananas, abacates e outras frutas e vegetais.

De volta ao básico

López diz que o atrativo do hotel será fazer da experiência a mais realista possível.

"Vamos construir barracas básicas, como aquelas em que costumávamos viver, com plástico, algumas folhas de palmeira e um mosquiteiro", diz ele.

Mas aqueles que preferirem o conforto a uma experiência radicalmente realista podem escolher ficar em um dos quartos da Casa Verde.

98990589img0839-a9e9e9ab77be544967c839f51646da03.jpg Além de gerir o hotel, ex-guerrilheiros pretendem cultivar frutas para complementar a renda / BBC

O hotel terá também um restaurante que servirá pratos que eram comumente preparados pelos rebeldes, como a cancharina farina e o 'arroz guerrilheiro',

López está convencido de que o hotel será um grande sucesso entre os turistas, apesar de o projeto não ter um plano de negócios que vá muito além do básico.

O grupo de ex-guerrilheiros deste campo de reintegração, um entre os 26 existentes no país, poderá ser muito beneficiado por um sucesso destes.

99510553d7f4c3aab07e4c99a7f6d814a134bd1d-27c5560d3d8e60dd1e9dac542d142f10.jpg Há 26 campos de reintegração para guerrilheiros na Colômbia / Reuters

Aproximadamente metade daqueles que chegaram ao campo há um ano deixaram o local desde então.

"Todo mundo chegou aqui com muitas expectativas, mas elas desapareceram com o tempo", explica López. "Alguns voltaram para suas famílias, outros saíram em busca de trabalho e o resto, não sabemos muito para onde foram".

Grupos dissidentes

Desde que as Farc assinaram o acordo de paz, grupos dissidentes armados têm surgido – mas López diz não poder precisar se uma parte dos ex-guerrilheiros que deixaram os campos se juntou a estes grupos.

99511674mediaitem99511672-42d271398c6590d6cfb69c6b47b1225e.jpg Acordo de paz foi assinado com governo colombiano em novembro de 2016 / Reuters

"Você pode realmente controlar as pessoas enquanto elas estão aqui, mas depois que elas saem, é difícil saber o que vão fazer", diz o ex-comandante.

"Só sabemos como trabalhar e como fazer guerra", ele diz sobre seus ex-combatentes.

É por isso que o sucesso de projetos como o hotel das Farc é fundamental para a reintegração destas pessoas.

"Nós podemos trabalhar dia e noite, mas se não temos um lugar para trabalhar, o que devemos fazer?" ele pergunta.

Por enquanto, ele e seus antigos camaradas estão apostando no Hotel Casa Verde.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo