A relação conturbada de Nahir Galarza e Fernando Pastorizzo

Por Metro Internacional

Nahir Galarza, 19 anos, confessou ter atirado em seu namorado, Fernando Pastorizzo, 21, com a arma do seu pai. A revelação veio depois que o corpo do jovem foi encontrado ao lado de uma estrada em Gualeguaychú, na Argentina.

Leia mais:
Estudante argentina mata o namorado e deixa mensagem macabra no Instagram

Segundo o El País, as declarações das famílias e dos amigos dos jovens revelam uma relação conturbada em que o casal havia tentado se afastar várias vezes.

Relacionamento tóxico

Nahir e Pastorizzo viveram um relacionamento tóxico por cinco anos. A irmã da vítima, Carla Pastorizzo, falou sobre a relação.

"A luta feminista contra a violência de gênero também busca visibilizar a violência de mulheres contra homens, situações que não são denunciadas pela gozação imposta pelo patriarcado, hoje foi a vez da minha família e lutaremos com mais força do que nunca para que algo assim nunca mais aconteça, que seja gerada maior consciência sobre os relacionamentos tóxicos e o quanto é  importante afastar-se deles ", escreveu nas redes sociais.

Eles não eram "namorados"

Marcelo Galarza, pai de Nahir, declarou que  à mídia argentina que os jovens não tinham uma relação assumida.

A declaração poderia servir para que a jovem enfrentasse um crime de "homicídio simples", entre oito e 25 anos de prisão, em vez de um "homicídio agravado pelo vínculo", condena que poderia levar a jovem à prisão perpétua.

Agressões

O pai de Nahir também disse à imprensa argentina que Fernando Pastorizzo já havia agredido sua filha, mais de uma vez.

No domingo anterior ao crime, houveram rumores de que Nahir e uma amiga agrediram Pastorizzo fora de uma casa noturna.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo