Atirador mata 11 pessoas em ataque à igreja e loja no Egito

Por Reuters
Reuters
Atirador mata 11 pessoas em ataque à igreja e loja no Egito

Um homem armado abriu fogo contra fiéis perto de uma igreja copta e uma loja de propriedade de cristãos nos arredores do Cairo nesta sexta-feira (29) e matou ao menos 11 pessoas, antes de ser ferido e preso, informaram o Ministério do Interior egípcio e representantes da igreja.

O Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelos ataques, em um comunicado divulgado por sua agência de notícias, a Amaq, embora não tenha apresentado provas para a alegação.

Leia mais:
Brasileiros são presos na África com 1 tonelada de droga em veleiro
Dinheiro bloqueado no exterior por corrupção e lavagem chega a R$ 825 milhões

Relatos anteriores de fontes da área de segurança e da mídia estatal deram conta de que ao menos dois agressores tinham participado do ataque, sendo que um deles teria sido morto e outro teria escapado. O Ministério do Interior não explicou as razões para os números diferentes.

Segundo a igreja copta, o atirador abriu fogo primeiro em uma loja de cristãos a 4 quilômetros de distância, matando duas pessoas. Depois seguiu para a igreja Mar Mina em Helwan, subúrbio ao sul do Cairo. O Ministério do Interior disse que ele abriu fogo na entrada e tentou lançar um artefato explosivo.

No total 11 pessoas morreram no ataque desta sexta-feira, incluindo um policial, de acordo com o Ministério do Interior e a igreja copta. A igreja relatou que uma jovem morreu depois devido aos ferimentos, elevando o total de civis mortos na igreja para oito.

O ministério disse que as forças de segurança “lidaram imediatamente com o (atirador) e o detiveram após ter sido ferido”. O governo acrescentou que “medidas legais foram tomadas”, mas não deu detalhes.

Um funeral conjunto para oito dos mortos foi realizado na noite de sexta-feira na igreja da Virgem Maria, em Helwan.

Militantes islâmicos já reivindicaram diversos ataques contra a minoria cristã do Egito nos últimos anos, incluindo dois ataques a bomba em abril e uma explosão na principal catedral copta do país, em abril de 2016, que matou 28 pessoas.

A polícia tinha aumentado as medidas de segurança ao redor de igrejas antes da celebração do Natal copta em 7 de janeiro, colocando policiais do lado de for a dos locais de culto e detectores de metal nas maiores igrejas.

Loading...
Revisa el siguiente artículo