Miss Iraque é ameaçada e deixa país após divulgar foto com miss israelense

Por Ansa

Em meio aos preparativos para o concurso Miss Universo 2017 no mês passado, uma selfie da miss Iraque, Sarah Eedan, com a miss Israel, Adar Gandelsman, causou polêmica no país árabe.

A foto da relação amigável entre as duas modelos incomodou o Iraque, que acusa as tropas israelenses de cometerem diversos abusos no Oriente Médio. Segundo o país árabe, o registro da miss iraquiana indica que ela aprova as ações dos israelenses nos territórios palestinos.

Leia mais:
Miss Iraque e Miss Israel posam juntas e dividem opiniões
Música Jingle Bells tem origem racista, aponta estudo americano

A selfie foi compartilhada em novembro milhares de vezes nas redes sociais, e muitos acusaram a miss Iraque de traição, fazendo até ameaças de morte à modelo. Com medo de sofrer alguma violência, a família de Sarah foi forçada a deixar o país há dois dias e viajou aos Estados Unidos.

"Ela me perguntou se eu tiraria uma foto. Eu disse que ficaria feliz em espalhar a mensagem. O objetivo da foto era expressar esperança pela paz mundial e pela solução da crise", comentou Sarah, que pediu desculpas para as pessoas que acharam a fotografia ofensiva.

Para responder as ameaças, a Miss Israel também postou a fotografia em seu perfil no Instagram, e destacou que sua colega é "incrível".

"As duas coisas juntas causaram uma confusão no Iraque, onde as pessoas fizeram ameaças contra ela e sua família. Disseram que, caso não voltasse para a casa e apagasse as fotos, iriam remover seu título de miss Iraque e a matariam", contou Adar.

Sarah nasceu e cresceu no Iraque, mas precisou se mudar para os Estados Unidos para estudar música. A modelo é a primeira em 45 anos a representar o país árabe no Miss Universo.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo