Após disputa acirrada, Piñera reassume o poder no Chile

Por Metro Jornal
Ao lado da futura primeira-dama Cecilia, Piñera mostra cédula eleitoral antes de votar em Santiago - Ivan Alvarado / Reuters
Após disputa acirrada, Piñera reassume o poder no Chile

O ex-presidente (2010-2014)e bilionário Sebastián Piñera, 68 anos, foi novamente eleito para comandar o Chile. Ele venceu ontem o jornalista Alejandro Guiller, 64 anos, no segundo turno das eleições presidenciais. Às 21h (horário de Brasília), com 99% das urnas apuradas, Piñera, representante da centro-direita e de oposição ao governo da atual presidente, Michele Bachelet, tinha 54,6% dos votos válidos, contra 45,4% de seu adversário de centro-esquerda.

No primeiro turno, Piñera levou um susto. Após todas as pesquisas lhe darem em torno de 45% dos votos, ele acabou passando com 36,6%, contra 22,7% de Guillier. Na ocasião, apenas 6,7 milhões de eleitores votaram, o que corresponde a 46,7% do eleitorado, já que o voto não é obrigatório no Chile.

Para reconquistar o eleitor, Piñera teve de, além de prometer facilitar o investimento e retomar um caminho de alto crescimento, fazer ofertas sociais de última hora. Mas a confiança de que o ex-presidente poderia sair vencedor subiu novamente, de acordo com um relatório da Credicorp Capital, devido à percepção do eleitor de que ele teve um bom desempenho no último debate, há uma semana.

As expectativas sobre sua vitória, junto com preços firmes do cobre, levaram o índice acionário chileno IPSA a um ganho de 7% somente na semana passada, o maior rali semanal em oito anos. Tudo isso deu ontem quase dez pontos de folga a Piñera, que  tomará posse em março de 2018. 

Loading...
Revisa el siguiente artículo