Mensagens de Trump contra muçulmanos voltam a abalar relação dos EUA com o Reino Unido

Por Estadão Conteúdo
Toby Melville/Kevin Lamarque/Reuters
Mensagens de Trump contra muçulmanos voltam a abalar relação dos EUA com o Reino Unido

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, afirmou nesta quinta-feira que o fato de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter reenviado mensagens de um grupo de extrema-direita foi "a coisa errada a fazer". Segundo a premiê, o grupo, chamado Britain First, é "uma organização de ódio" que vai contra a "decência comum britânica".

May tem sido pressionada a condenar Trump diretamente, após na quarta-feira o presidente americano reenviar no seu Twitter vídeos contra os muçulmanos. O porta-voz dela já havia dito que a atuação de Trump foi errada no caso.

Em Amã, na Jordânia, May disse que o Reino Unido e os EUA têm uma relação especial, mas que ela não tem medo de criticar os amigos quando eles fazem coisas erradas.

Questionada sobre uma mensagem posterior de Trump no Twitter que pedia que ela se concentrasse não nele, mas na violência do extremismo islâmico, May afirmou que o Reino Unido leva muito a sério o risco do extremismo.

Mais cedo, o prefeito de Londres, Sadiq Khan, pediu que o governo britânico cancele uma visita de Estado de Trump ao Reino Unido, por causa da atitude dele no Twitter. Khan disse que Trump promoveu "um grupo extremista, vil" e que nesse contexto uma visita oficial dele "não seria bem-vinda".

Os governos dos dois países haviam dito que está prevista uma visita de Estado de Trump, mas sem uma data marcada.

Loading...
Revisa el siguiente artículo