Líder catalão diz que Espanha promoveu um golpe de estado e pede ajuda da UE

Por Estadão Conteúdo
Presidente deposto da Catalunha, Carles Puigdemont - REUTERS/Albert Gea
Líder catalão diz que Espanha promoveu um golpe de estado e pede ajuda da UE

O presidente regional deposto da Catalunha, Carles Puigdemont, afirmou que vencerá nas urnas, no próximo mês, o que chama de "repressão" por parte do governo espanhol aos desejos de independência da região. Segundo Puigdemont, "a Catalunha está no caminho para se tornar uma República por meio da democracia". Além disso, ele acusou a Espanha de promover um "golpe de estado" em solo catalão e pediu ajuda da União Europeia.

O líder usou o francês para se comunicar com cerca de 200 prefeitos da Catalunha que se reuniram em um museu de arte em Bruxelas. Eles aplaudiram Puigdemont antes do início do discurso e o chamaram de "presidente" em coro.

Puigdemont fugiu para Bruxelas depois que o governo central espanhol dissolveu o Parlamento e o governo regional devido às tentativas de secessão da região. O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, afirmou que está defendendo a lei, mas Puigdemont afirma que ele e seus aliados separatistas estão sendo perseguidos.

Funcionários catalães que estavam no evento em Bruxelas convidaram os líderes da UE a aceitarem a causa da região. Um grupo de prefeitos levantou cartazes pedindo ajuda à Catalunha. No fim do ato, eles cantaram o hino catalão. As eleições regionais estão programadas para ocorrerem em 21 de dezembro.

Loading...
Revisa el siguiente artículo