Após morte, governo dos EUA inicia investigação sobre manifestação em Charlottesville

Por Estadão Conteúdo
Reuters
Após morte, governo dos EUA inicia investigação sobre manifestação em Charlottesville

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ, na sigla em inglês) iniciou uma investigação sobre os direitos civis, após um carro ter atropelado civis no sábado e ter deixado uma mulher morta e quase 20 feridos, durante um dia de confrontos em uma manifestação supremacista branca em Charlottesville, na Virgínia, comentaram autoridades federais.

“A violência e as mortes em Charlottesville atingiram o coração da lei e da justiça americanas. Quanto tais ações surgem da intolerância racial e do ódio, eles traem nossos valores fundamentais e não podem ser tolerados”, disse o procurador-geral, Jeff Sessions, em um comunicado divulgado na noite de sábado, anunciando a investigação.

Depois de uma noite e uma manhã de protestos na cidade, um carro avançou em uma multidão de pessoas que se manifestavam contra os supremacistas brancos, que foram à Charlottesville para o “Unite The Right”. A polícia local prendeu o suposto motorista e o identificou como James Alex Fields Jr., residente de Ohio, de 20 anos. Fields, que irá responder por homicídio e por ferimentos, está sendo mantido em uma prisão local.

Em um comunicado na noite de sábado, o escritório da Agência Federal de Investigação de Richmond, na Virgínia, anunciou que estava começando uma investigação de direitos civis sobre o acidente. Sessions, que comanda o DoJ, afirmou que o movimento terá “apoio total do Departamento de Justiça” e prometeu que “a justiça prevalecerá”.

Loading...
Revisa el siguiente artículo