Protestos se espalham por 170 cidades dos Estados Unidos

Por Nadia
| Adrees Latif Família de Brown contesta decisão, mas pede calma à população | Adrees Latif/Reuters

Os protestos contra a decisão de um júri de não indiciar o policial que matou, em agosto, o jovem negro Michael Brown se espalharam nesta quarta-feira por várias cidades dos EUA, enquanto cerca de 2 mil homens da Guarda Nacional foram enviados à região de Saint Louis para ajudar a polícia a evitar incidentes violentos e vandalismo. Segundo a imprensa local, protestos aconteceram em mais de 170 cidades de 37 Estados.

De acordo com a polícia de Nova York, dez pessoas foram detidas na noite de terça-feira na cidade durante a realização de protestos. Los Angeles, Filadélfia, Boston, Washington, Atlanta e Seattle, entre outras grandes cidades do país, também foram cenários de manifestações.

Em Cleveland, no Estado de Ohio, uma multidão protestou contra a morte de um adolescente negro de 12 anos, também por um policial, no último fim de semana. A criança estava em um parque da cidade com uma arma de brinquedo.

Local da morte de Brown, a cidade de Ferguson, no Estado do Missouri, viveu a segunda noite de distúrbios após a decisão da Justiça. A polícia prendeu 44 pessoas na madrugada desta quarta, disse Jon Belmar, chefe de polícia do condado de Saint Louis, ao qual pertence Ferguson.

Os manifestantes quebraram janelas da prefeitura, incendiaram uma viatura policial e atiraram pedras e uma bomba incendiária, mas, segundo Belmar, a noite foi “menos agitada” que a de segunda-feira e a madrugada de terça-feira, uma vez que a polícia não precisou usar gás lacrimogêneo.

‘Consciência limpa’

Em entrevista à rede de TV ABC, o policial Darren Wilson, que disparou ao menos seis tiros contra Brown, disse que sua consciência está tranquila e que teria feito o mesmo se tivesse abordado um jovem branco.

O agente disse que teve medo de ser assassinado, pois acreditou que Brown poderia tomar sua arma para atacá-lo. “Ele se dirigiu para mim, pensei que iria me matar”, declarou.

Os pais do adolescente contestaram a versão de Wilson. Segundo Michael Brown Sr., pai do rapaz, o relato é “uma loucura”. “Que pessoa em sã consciência se atreveria a atacar um agente da polícia que tem uma arma na mão?”, questionou na rede de TV NBC.

Investigação rigorosa

O secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, prometeu que uma investigação federal sobre a morte de Michael Brown, de 18 anos, será rigorosa. Holder disse que serão conduzidas duas investigações federais sobre o caso. “Há uma necessidade de restaurar a fé de muitos na Justiça.”

“Não aceitaremos protestos violentos. Temos de lembrar que os protestos que tiveram os resultados mais duradouros de nossa história foram pacíficos”, declarou Holder.

Agentes do FBI são feridos a tiros em casa em Saint Louis

Dois agentes do FBI foram feridos a tiros em uma casa no norte do condado de Saint Louis nesta quarta de manhã. Uma porta-voz do FBI, contudo, disse que o incidente não estava “diretamente relacionado” à tensão racial em Ferguson, que fica nas proximidades do local do ataque.

Um agente foi atingido no ombro, e outro, na perna enquanto auxiliavam a polícia local na execução de um mandado de prisão, de acordo com a porta-voz Rebecca Wu. Os agentes não correm risco de morte.

Protesters gather outside LAPD headquarters in Los Angeles, California Mario Anzuoni/Reuters
Protesters raise their hands during a demonstration in Oakland Stephen Lam/Reuters

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo