Com ataque ao parlamento, Canadá revive comoção dos anos 1970

Por lyafichmann
Police officers guard Parliament Hilll following a shooting incident in Ottawa Atiradores realizaram uma ação contra o Parlamento do país, localizado na capital Ottawa | Chris Wattie/Reuters

Após a polícia de Ottawa, no Canadá, confirmar a morte de um soldado e de um dos supostos atiradores que realizaram um ataque ao Parlamento do país nesta quarta-feira, o conselheiro da embaixada canadense no Brasil, Pablo Cardoso, disse que a nação não vive um momento como esse há 40 anos.

“O Canadá não enfrenta uma comoção como essa desde o começo dos anos 1970, quando ataques de organizações separatistas eram comuns em Quebec”, disse o conselheiros em entrevista à rádio BandNews FM.

O principal grupo que agia na época era a Frente de liberação do Québec, que foi fundada nos anos 60 e realizou ataques durante toda a década. Em 1970, no episódio que ficou conhecido como Crise de Outubro, o movimento sequestrou o comissário de Comércio Britânico James Cross e o ministro do Trabalho de Quebéc, Pierre Laporte, que foi morto estrangulado.

No ataque desta quarta-feira, outras duas pessoas ficaram feridas, mas estão em estado estável, disseram fontes de hospital.

O prefeito de Ottawa, Jim Watson, disse que “hoje é um dia triste e trágico para nossa cidade e para nosso país”.

Uma operação está em andamento e policiais reforçaram pedido para que as pessoas deixem o centro da cidade.

A identidade do soldado não foi revelada, pois muitos de seus familiares não foram informados sobre sua morte. “Nossos pensamentos e orações estão com ele”, concluiu o prefeito em coletiva de imprensa.

O ataque

O Parlamento do Canadá, em Ottawa, foi isolado nesta quarta-feira após disparos serem ouvidos nas proximidades do edifício.

O oficial foi atacado por um homem ainda não identificado quando fazia a segurança do Museu Nacional Memorial da Guerra.

A polícia canadense divulgou que dois ou três atiradores, que estão sendo procurados, podem estar envolvidos no caso.

Testemunhas descreveram um dos atiradores como um homem com cabelo escuro, que vestia roupas civis e um lenço cobrindo o rosto. Ele teria chegado ao local em um carro preto.

O primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, “já deixou o Parlamento e está a salvo”, divulgou um representante.

EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi informado sobre o tiroteio no Parlamento canadense, em Ottawa, informaram fontes da Casa Branca.

A Embaixada norte-americana na cidade também foi isolada por precaução.

A Casa Branca disse que Washington não tem informações suficientes para saber se o ataque no Canadá se trata de uma ação terrorista.

O porta-voz da Presidência, Josh Earnest, destacou que os dois países são muito próximo e que as relações bilaterais são muito importantes. Obama deve telefonar para o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, ainda nesta quarta-feira.

Loading...
Revisa el siguiente artículo