Nigéria anuncia morte de líder do grupo Boko Haram

Por lyafichmann
Líder do grupo islâmico  Boko Haram, Abubakar Shekau | Reuters  Líder do grupo islâmico Boko Haram, Abubakar Shekau | Reuters

O Exército da Nigéria afirmou nesta quarta-feira que o líder do grupo armado islamita Boko Haram, Abubakar Shekau, está morto. Não há informações de onde, como ou quando a morte ocorreu.

Os militares também afirmaram recentemente que haviam matado outro chefe islamita que se fazia passar por Shekau.

A morte de Shekau já havia sido anunciada duas vezes desde 2009 pelas forças de segurança, mas esta é a primeira vez que o Exército faz essa afirmação oficialmente.

O porta-voz militar Chris Olukolade anunciou a morte de um combatente islamita, chamado Mohamed Bashir, durante combates na cidade de Kondunga, no estado nigeriano de Borno. “Bashir tem atuado ou aparecido em vídeos como se fosse o falecido Abubakar Shekau, o excêntrico personagem conhecido como líder do grupo Boko Haram”, acrescentou.

Moradores de comunidades locais corroboraram as informações sobre a identidade de Bashir Mohamed, ou Abubakar Shekau, ou Abacha Abdullahi Geidam, ou Damasack, indicou o porta-voz militar durante uma coletiva de imprensa em Abuja.

Olukolade não deu detalhes sobre a morte do verdadeiro Abubakar Shekau, indicando que seu nome virou uma marca do líder terrorista.

O Exército nigeriano está determinado a punir as pessoas que fingem falar sob a identidade de Shekau ou em nome de, disse o Olukolade.

Durante a coletiva de imprensa, um vídeo amador foi exibido, mostrando combates em Konduga (estado de Borno) e muitos corpos nas ruas.

O general Olukolade apontou um homem barbudo, deitado no chão entre as vítimas como sendo aquele que aparece nos vídeos do Boko Haram. Uma foto do mesmo homem também foi mostrada.

Há vários dias circulam rumores sobre a morte de Abubakar Shekau, principalmente após um tuíte do Exército anunciando que um líder terrorista gravemente ferido havia sido capturado em Konduga.

Em julho de 2009, a polícia de Maiduguri, capital do estado de Borno, anunciou que Shekau estava entre os 200 integrantes do grupo mortos durante confrontos.

Em 19 de agosto de 2013, outra declaração dos serviços de segurança dizia que Shekau poderia ter sido morto a tiros por soldados no final de junho.

O Boko Haram (“A educação ocidental é pecado”, em língua haussá) luta pela criação de um Estado islâmico. O grupo pretende estabelecer um califado no noroeste da Nigéria.

A insurreição do Boko Haram e a brutal repressão das forças de segurança nigerianas deixaram 10.000 mortos desde 2009, de acordo com as autoridades da Nigéria, além de mais de 650.000 deslocados, segundo a ONU.

Loading...
Revisa el siguiente artículo