Estado Islâmico incita ataques a cidadãos de coalizão

Por fabiosaraiva
Iraque: combatente curdo vigia vila tomada pelo EI | A. Jadallah/Reuters Grupo prometeu ‘derrota inevitável’ dos ‘cruzados’ ocidentais | A. Jadallah/Reuters

O EI (Estado Islâmico) pediu nesta segunda-feira a seus seguidores que ataquem cidadãos dos EUA, da França e de outros países que se juntarem na coalizão liderada por Washington para combater o avanço do grupo no Iraque e na Síria. Também nesta segunda, um francês disse em um vídeo ter sido sequestrado por um grupo ligado ao EI na Argélia.

Em um comunicado divulgado pelo serviço de monitoramento sobre terrorismo Site, o porta-voz do EI, Abu Muhammad al-Adnani, também provocou o presidente dos EUA, Barack Obama, e outros “cruzados” ocidentais, dizendo que suas forças enfrentariam uma “derrota inevitável” perante o poderio dos militantes.

Segundo ele, a intervenção militar da coalizão liderada pelos EUA seria a “campanha final dos cruzados”, de acordo com a transcrição publicada pelo Site. “Ela será rompida e derrotada, assim como todas as suas campanhas anteriores foram rompidas e derrotadas”, disse, pedindo que os seguidores do EI atacassem norte-americanos, canadenses, australianos e cidadãos de outras nacionalidades.

Ao se dirigir a Obama, Adnani disse que os EUA seriam “atraídos e arrastados” novamente para uma guerra no Iraque, fazendo referência à promessa do presidente de que isso não ocorreria.

Francês

O francês que disse ter sido sequestrado na Argélia afirmou, no vídeo, que chegou ao país no sábado e foi capturado no domingo. Nas imagens, ele se dirige ao presidente francês, François Hollande.

“Estou nas mãos do Jund al-Khilifa, grupo armado argelino. Esse grupo está me pedindo para dizer a você (Hollande) não intervir no Iraque. Eles estão me mantendo como refém e peço ao senhor presidente para fazer tudo para me tirar desta situação ruim”. O Ministério francês das Relações Exteriores não confirmou a autenticidade do vídeo.

Putin quer cooperar com outros países na luta contra Estado Islâmico, diz agência
O presidente russo, Vladimir Putin, discutiu com seu Conselho de Segurança nesta segunda-feira uma potencial cooperação com outros países na luta contra o grupo Estado Islâmico, disse um porta-voz do Kremlin, segundo agências de notícias russas.

“Os membros permanentes do Conselho de Segurança trocaram opiniões sobre as possíveis formas de cooperação com outros parceiros sobre um plano para combater o Estado Islâmico no âmbito da lei internacional”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, segundo a agência Interfax. Ele não mencionou quem seriam os parceiros.

ONU faz apelo por ajuda a refugiados sírios na Turquia

O vice-premiê turco, Numan Kurtulmus, disse nesta seguda que mais de 130 mil refugiados curdos da Síria fugiram para a Turquia, depois do avanço do EI (Estado Islâmico) no nordeste do país, que enfrenta uma guerra civil há mais de três anos. Segundo Kurtulmus, o número pode aumentar se a ofensiva do grupo continuar.

A situação levou o Acnur (Alto Comissariado da ONU para Refugiados) a fazer um apelo por ajuda ao governo turco. Segundo o organismo, o pais precisa urgentemente de ajuda para acolher os refugiados, no maior êxodo em um curto período de tempo desde o início do conflito da Síria, em 2011.

A enviada da ONU à Turquia, Carol Batchelor, disse que o número elevado de refugiados colocaria pressão sobre qualquer comunidade de acolhimento. Ela pediu mais solidariedade e assistência internacional. “A situação está se agravando e se prolongando. As pessoas estão desesperadamente necessitadas”, disse. Segundo Batchelor, faltam alimentos, cobertores e roupas de inverno, especialmente para as crianças.

Loading...
Revisa el siguiente artículo