Votação sobre independência da Escócia leva 4 milhões às urnas

Campaigners wave Scottish Saltires at a Campanha pelo “sim”, a favor da independência da Escócia | Dylan Martinez/Reuters

Mais de 4 milhões de escoceses vão às urnas nesta quinta-feira (18) para decidir se a Escócia deve permanecer no Reino Unido ou se tornar independente. Ao todo, 2.608 locais de votação estão abertos desde as 7h (horário de Londres) e fecharão às 22h. O ex-primeiro-ministro britânico Gordon Brown, um dos líderes da campanha contra a separação, e o primeiro-ministro escocês, Alex Salmond, grande defensor da independência, votaram no início da manhã.

Leia mais:

Cameron diz que não sai se Escócia votar por ‘sim’

A contagem de votos começa assim que as urnas forem fechadas e deve seguir pela madrugada. O resultado final será divulgado oficialmente às 7h de sexta-feira (19).

Nesta quarta-feira (17), as duas campanhas, a favor e contra a independência, fizeram grandes atos políticos na tentativa de mobilizar os eleitores e angariar o voto dos indecisos. Em Glasgow, a campanha Melhor Juntos foi liderada por Gordon Brown, que reforçou os ganhos obtidos ao longo de 300 anos de Grã-Bretanha e fez um apelo: “O que teremos construído juntos se nos sacrificarmos e nos dividirmos? Não vamos deixar esse nacionalismo estreito nos separar, nunca”.

Na cidade escocesa de Perth, a campanha Sim Escócia, que defende a independência da região, promoveu um comício que reuniu milhares de pessoas. Alex Salmond, em seu último discurso antes do referendo, convocou os eleitores a “escolher esperança, em vez de medo, e oportunidade, em vez de desespero”. Em sua fala, ele foi interrompido pela multidão, que cantava: “Sim, nós podemos”.

Personalidades britânicas manifestaram suas posições em relação ao referendo. Hoje, pelo Twitter, o tenista britânico Jamie Murray disse que “é hora de a Escócia ficar de pé e controlar seu próprio destino”. A estilista Vivienne Westwood e o ator Sean Connery também são a favor da independência, enquanto estrelas como Paul McCartney, Mick Jagger e o ex-jogador David Beckham são contra. A escritora J. K. Rowling, autora do livro Harry Potter, doou 1 milhão de libras esterlinas (quase R$ 4 milhões) para a campanha contra a separação.

O referendo histórico dominou hoje as primeiras páginas dos jornais britânicos, que expressaram incerteza sobre o futuro do Reino Unido. O diário The Guardian trouxe na capa o mapa do Reino Unido com a manchete: O dia do destino. O jornal escocês The Herald trouxe a manchete O dia de a Escócia acertar as contas. Será esse o triste final da identidade britânica, resultado de uma união que já dura três gerações? Quando o sino do Castelo de Edimburgo bater às 7h de sexta-feira, e os resultados forem oficialmente divulgados, o mundo então saberá a resposta.

Loading...
Revisa el siguiente artículo