Americana é executada por morte de criança

Por Nadia
Coleman foi a trigésima execução do ano nos EUA, nove das quais ocorreram no Texas | Reprodução/The Washington Post Coleman foi a trigésima execução do ano nos EUA, nove das quais ocorreram no Texas | Reprodução/The Washington Post

Lisa Coleman, de 38 anos, foi executada com injeção letal na noite desta quarta-feira no Texas, sul dos Estados Unidos, pelo sequestro, maus-tratos e morte do filho de sua companheira.

A morte após a injeção de pentobarbital foi constatada às 18H24 (20H24 Brasília) em Huntsville, informou Robert Hurst, porta-voz das autoridades penitenciárias texanas.

Lisa Coleman foi declarada culpada em julho de 2004 pela morte de Davontae Williams, de 9 anos, filho de sua companheira Marcella Williams, que morreu de fome e cujo corpo de 15 quilos foi encontrado com marcas de espancamento no apartamento do casal, segundo um documento judicial.

A detida apresentou na terça-feira um último recurso ante a Suprema Corte, argumentando que o agravante do sequestro, o que lhe valeu a condenação à morte, não foi suficientemente examinado durante o julgamento.

O menino de 9 anos, que circulava livremente no bairro, segundo testemunhas, foi encontrado em sua casa, o que refuta, segundo advogados, a teoria do sequestro.

Sua mãe se declarou culpada da morte por maus tratos e cumpre prisão perpétua. No entanto, apenas Lisa Coleman, que vivia no mesmo apartamento, recebeu a pena de morte.

Esta foi a trigésima execução do ano nos Estados Unidos, nove das quais ocorreram no Texas.

Coleman é a décima-quinta mulher executada nos Estados Unidos de um total de 1.389 condenados desde que a pena capital voltou a ser instaurada, em 1976.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo