Americano fará trabalho forçado na Coreia do Norte

Por Carolina Santos
Matthew Miller foi condenado a seis anos de trabalho forçado | KCNA/Reuters Matthew Miller foi condenado a seis anos de trabalho forçado | KCNA/Reuters

O norte-americano Matthew Miller, preso na Coreia do Norte desde o último mês de abril, foi condenado a seis anos de detenção em um campo de trabalhos forçados por ter cometido “atos hostis”. A informação foi divulgada pela agência estatal KCNA.

No entanto, as circunstâncias em torno do suposto crime de Miller ainda são obscuras.

De acordo com Pyongyang, capital norte-coreana, o cidadão de 24 anos entrou no país como turista, mas logo depois rasgou seu visto e expressou seu desejo de receber asilo na nação asiática.

Recentemente, ele havia feito um apelo para o presidente Barack Obama iniciar negociações com o regime de Kim Jong-um.

Outros dois americanos estão detidos no país asiático. Em junho, a Coreia do Norte havia anunciado que, além de Matthew Miller, Jeffrey Fowle seria julgado por ações não especificadas consideradas “atos hostis contra o país”.

O último deles, Kenneth Bae, foi preso em novembro de 2012, acusado de ser um cristão evangelista que buscava derrubar o governo norte-coreano. Ele foi condenado a 15 anos de reclusão em campos de trabalho.

“Devido a preocupações humanitárias ligadas a Jeffrey Fowle, Matthew Miller e às suas famílias, pedimos que a República Popular Democrática da Coreia (RPDC, Coreia do Norte) os coloque em liberdade para que possam voltar para seus lares”, declarou, na segunda-feira (8), a porta-voz do Departamento de Estado americano, Jen Psaki.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo