Estado Islâmico mostra decapitação de refém britânico em novo vídeo

Por Carolina Santos
David Haines momentos antes de seu suposto assassinato | Reprodução/YouTube David Haines momentos antes de seu suposto assassinato | Reprodução/YouTube

O Estado Islâmico (EI) anunciou a decapitação do refém britânico David Haines, em represália à entrada da Grã-Bretanha na coalizão formada para combater o grupo extremista jihadista, informou neste sábado (13) o centro americano de monitoramento da Internet (SITE).

Em um vídeo publicado na internet, o britânico é decapitado por um combatente com o rosto coberto. Haines era um agente humanitário que havia sido sequestrado na Síria em 2013.

Esta é a terceira execução de um refém ocidental por parte do EI em poucas semanas, após a morte dos jornalistas Steven Sotloff e James Foley, ambos americanos, na Síria.

Cameron fala sobre execução

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, classificou neste domingo a execução de David Haines como um “assassinato vil” do Estado Islâmico, e prometeu “encurralar” o grupo jihadista que ocupa partes da Síria e do Iraque.

“É um assassinato vil e repulsivo”, declarou Cameron em um comunicado publicado por Downing Street.

“Faremos tudo ao nosso alcance para encurralar estes assassinos e fazer com que respondam por seus atos, não importa o tempo que isto leve”.

“Penso na família de David Haines, que mostrou uma força e uma coragem extraordinárias diante deste desafio”, disse Cameron.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestou sua solidariedade com a Grã-Bretanha, após o anúncio da execução.

“Os Estados Unidos condenam firmemente a cruel morte do cidadão britânico David Haines pelo grupo terrorista EI”, assinala Obama em um comunicado.

“Os Estados Unidos permanecerão ombro a ombro esta noite com seu íntimo amigo e aliado em seu pesar e luto”, reforçou Obama

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo