Para especialista, apenas cessar-fogo não resolve o conflito na Ucrânia

Por fabiosaraiva
Paul D’Anieri, reitor da Universidade da Califórnia Paul D’Anieri, reitor da Universidade da Califórnia

Para Paul D’Anieri, reitor da Universidade da Califórnia, Riverside, mesmo se o cessar-fogo for mantido, isso não resolve o conflito no leste da Ucrânia. D’Anieri também é especialista em leste europeu.

Leia mais:
Presidente ucraniano afirma que forças russas recuaram da fronteira

Por que Kiev e os rebeldes trocam prisioneiros? 
Por duas razões. Uma é que preferem ter seus próprios prisioneiros de volta como forma de aumentar as possibilidades de que seus soldados, se capturados pelo lado oposto, receberão tratamento humano. A segunda razão é que o cuidado com os prisioneiros de guerra consome recursos e dinheiro, e eles preferem não ter essa responsabilidade.

Isso quer dizer que a guerra na Ucrânia está próxima de acabar?
Não significa que o final da guerra esteja próximo. O melhor cenário nesse momento é o de que o cessar-fogo seja mantido, mas parece ser bastante instável e tanto a Ucrânia como a Rússia têm razões para romper a trégua. Mesmo que o cessar-fogo se mantenha, isso não resolve o conflito. O fato de que uma grande parte do território ucraniano está nas mãos das forças pró-Rússia significa que o conflito poderá eclodir em qualquer momento no futuro. A Crimeia estava fora das fronteiras russas durante 60 anos e, mesmo assim, Moscou segue reivindicando. Reivindicações de Kiev sobre o território tomado poderão durar o mesmo tempo.

Como a situação na Ucrânia deverá se desenvolver em um futuro próximo
A situação segue sendo muito instável e altamente imprevisível. Se o objetivo da Rússia era apenas tomar a região de Donetsk, então podem estar satisfeitos com o estado atual das coisas. Mas se a ideia é estabelecer um corredor terrestre com a Crimeia, terão de retomar a ação militar. A Ucrânia tentará se rearmar e reorganizar para retomar o território perdido. A retomada de hostilidades será retomada apenas se ambos decidirem que podem aceitar a divisão mais do que os riscos de reiniciar o combate.

 

 

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo