Relatório aponta que avião que caiu na Ucrânia foi derrubado

Por Carolina Santos

Um relatório holandês divulgado nesta terça-feira aponta que o avião da Malaysia Airlines que caiu em julho no leste da Ucrânia se despedaçou devido ao impacto de “uma grande quantidade de objetos com muita energia”. O relatório preliminar da Agência de Segurança Holandesa oferece uma teoria consistente com a ideia de que o MH17 foi abatida por um míssil.

Todos os 298 passageiros e tripulantes que estavam na aeronave morreram no acidente, que aconteceu sobre território controlado por separatistas pró-Moscou em meio a um conflito que começou em abril e já matou mais de 3 mil pessoas, segundo a ONU. Dois terços das pessoas que estavam no avião, que fazia o trecho entre Amsterdã e Kuala Lumpur, capital malaia, eram holandesas.

‘Objetos externos’

O relatório diz que o MH17 caiu devido à penetração de objetos externos na fuselagem. “Não há indicações de que a queda do MH17 tenha sido causada por uma falha técnica ou por ações da tripulação”, diz o texto.

Embora o relatório não tenha mencionado diretamente um míssil, o impacto com uma grande quantidade de fragmentos seria condizente com a “proximidade” de uma ogiva projetada para explodir no ar e lançar estilhaços contra seu alvo, disse Tim Ripley, analista de defesa, para a revista “Jane’s Defence Weekly”.

Segundo especialistas, ogivas assim podem ser acopladas a vários tipos de mísseis, incluindo o BUK, míssil russo terra-ar que a Ucrânia e aliados ocidentais, entre eles os EUA, dizem ter sido lançado por separatistas, alvejando o avião de passageiros provavelmente por engano.

‘Forte suspeita’

Em um comunicado, o premiê da Malásia, Najib Razak, disse que “o relatório preliminar sugere que objetos com alta energia penetraram na aeronave e fizeram com que se despedaçasse em pleno ar”.

De acordo com Razak, “isso leva à forte suspeita de que um míssil tenha derrubado o MH17, mas investigações adicionais serão necessárias para que se tenha certeza”.

Sem acesso

Autoridades russas sugeriram no passado que outras teorias seriam possíveis, incluindo a de que o avião poderia ter sido alvejado por caças. O relatório, no entanto, concluiu que não havia aeronaves militares nas proximidades.

O investigadores holandeses não conseguiram chegar ao local da queda em função do conflito. As descobertas preliminares divulgadas no relatório são baseadas em dados do gravador da cabine dos pilotos, registros dos dados de voo, imagens de satélite e informações de radar. Os rebeldes entregaram os gravadores.

Apesar de trégua, 4 morrem

Quatro militares ucranianos foram mortos desde o começo do cessar-fogo entre Kiev e separatistas na última sexta-feira no leste do país, de acordo com declarações de um representante do ministério da Defesa ontem.

A trégua é parte de um plano de paz cuja intenção é encerrar o conflito de cinco meses na região, que provocou a maior tensão entre a Rússia e o Ocidente desde o fim da Guerra Fria.

O cessar-fogo foi mantido, em grande parte, durante a noite de segunda-feira e a madrugada desta terça-feira, apesar de violações esporádicas, incluindo Donetsk, um bastião rebelde e a maior cidade da região, onde, contudo, as forças do governo ucraniano controlam o aeroporto. Uma mulher ficou ferida durante a noite, segundo autoridades.

Mulher morta

Em um comunicado separado, o centro de imprensa da operação militar de Kiev disse que as forças armadas não haviam sofrido baixas durante a noite de segunda para terça.

No fim de semana, uma mulher foi morta e pelo menos quatro civis ficaram feridos quando forças do governo sofreram pesados ataques de artilharia perto da cidade portuária de Mariupol, no Mar de Azov.

Os dois lados culpam-se mutuamente pelas violações à frágil trégua.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo