Número de mortos no leste da Ucrânia aumenta, apesar de cessar-fogo

Por Nadia

Quatro militares ucranianos foram mortos desde o começo do cessar-fogo entre o governo e separatistas pró-Rússia na última sexta-feira no leste da Ucrânia, de acordo com declarações de um representante do ministério da Defesa à imprensa nesta terça-feira.

O cessar-fogo é parte de um plano de paz cuja intenção é encerrar um conflito de cinco meses que, segundo as Nações Unidas, já matou mais de 3.000 pessoas e provocou a maior tensão entre a Rússia e o Ocidente desde a Guerra Fria.

Soldado ucraniano sobre um veículo blindado perto Kramatorsk, no leste da Ucrânia | Gleb Garanich/Reuters Soldado ucraniano sobre um veículo blindado perto Kramatorsk, no leste da Ucrânia | Gleb Garanich/Reuters

O cessar-fogo foi mantido, em grande parte, durante a noite de segunda-feira e madrugada desta terça, apesar de algumas violações esporádicas, incluindo em Donetsk, um bastião rebelde e a maior cidade da região, onde forças do governo controlam o aeroporto. Uma mulher ficou ferida durante a noite, segundo autoridades.

O chefe do departamento militar médico do ministério da Defesa em Kiev, Vitaly Andronaty, disse que quatro soldados foram mortos e 29 ficaram feridos desde a noite de sexta-feira, de acordo com comentários feitos à agência de notícias Interfax.

Foi a primeira confirmação oficial de mortes militares desde o começo do cessar-fogo.

Em um comunicado separado, o centro de imprensa da operação militar ucraniana disse que as forças armadas não haviam sofrido baixas durante a noite de segunda para terça-feira.

No fim de semana, uma mulher foi morta e pelo menos quatro civis ficaram feridos quando forças do governo sofreram pesados ataques de artilharia perto da cidade portuária de Mariupol, no Mar de Azov.

Ambos os lados culpam um ao outro por quaisquer violações à frágil trégua.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo