Objetos achados no mar podem ser de avião sumido da Malaysia Airlines

Por Carolina Santos
Avião, que desapareceu em março, ainda não foi encontrado | Michael Martina/Reuters Avião, que desapareceu em março, ainda não foi encontrado | Michael Martina/Reuters

A Austrália, que lidera as buscas para encontrar o avião do voo MH370, que desapareceu em março, anunciou nesta sexta-feira ter identificado no leito do Oceano Índico elementos duros como o metal, que podem, no entanto, ser apenas características geológicas.

Os especialistas realizam buscas com sonares em uma zona remota do Índico, antecipando uma fase seguinte de buscas submarinas para encontrar o avião.

O voo MH370 da Malaysia Airlines desapareceu no dia 7 de março com 239 pessoas a bordo, em sua maioria cidadãos chineses, quando se dirigia de Kuala Lumpur a Pequim. A aeronave desviou completamente de sua trajetória, por razões desconhecidas, e teria caído no sul do Índico. Seis meses após seu desaparecimento não há rastros do avião.

Segundo um porta-voz do Escritório Australiano de Segurança Aérea (ATSB), os sonares “podem identificar vários graus de dureza, mas não distinguir entre o metal duro de um avião ou a rocha dura do leito do oceano”.

“A maioria dos rastros de dureza encontrados são provavelmente” o resultado de “características geológicas, mais que objetos fabricados pelo homem”, acrescentou.

Várias hipóteses surgiram para explicar o desaparecimento do voo MH370. A mais plausível é, segundo os investigadores, que ocorreu no avião uma queda brusca do nível de oxigênio, que deixou a tripulação e os passageiros inconscientes. A aeronave teria seguido voando com piloto automático até cair no mar por falta de combustível.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo