Estado Islâmico decapita mais um jornalista norte-americano

Por Tercio Braga
Ativista do Estado Islâmico ameaçou executar o jornalista Steven Sotloff em vídeo na internet | Reprodução/Reuters Ativista do Estado Islâmico ameaçou executar o jornalista Steven Sotloff em vídeo na internet | Reprodução/Reuters

O grupo radical EI (Estado Islâmico) divulgou nesta terça-feira um vídeo em que mostra o que seria a decapitação de um segundo jornalista norte-americano, Steven Sotloff. A informação, divulgada pelo serviço de monitoramento sobre jihad e terrorismo “Site”, não foi confirmada imediatamente pela Casa Branca, que disse estar verificando a autenticidade das imagens.

Como em um vídeo divulgado pelo EI há cerca de duas semanas em que o também jornalista norte-americano James Foley é decapitado, um terrorista mascarado ameaça um refém identificado pelo grupo como o britânico David Haines.

O homem alerta governos a recuarem da “aliança demoníaca da América (EUA) contra o Estado Islâmico”.

Em um trecho, ele se dirige diretamente ao presidente dos EUA, Barack Obama. “Estou de volta, Obama, e estou de volta em função de sua política externa arrogante com relação ao Estado Islâmico, por causa de sua insistência em prosseguir com seus bombardeios”, diz. “Assim como os mísseis continuam a atacar o nosso povo, nossa faca continuará a atacar o pescoço de seu povo”.

A porta-voz do Departamento de Estado Jen Psaki disse que agências de inteligência estavam “trabalhando o mais rápido possível” para determinar a veracidade do vídeo.

‘Pagando o preço’

No vídeo, Sotloff afirma que estava “pagando o preço”, com a sua vida, pela intervenção dos EUA no Iraque.

Jornalista freelancer que escrevia para a revista “Time”, Sotloff foi sequestrado na Síria em agosto de 2013. A mãe dele, Shirley, fez um apelo na semana passada em uma mensagem gravada em vídeo ao autoproclamado califa do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, pedindo a libertação do filho. O EI foi criado depois que Al-Baghdadi, líder do então chamado Isis (Estado Islâmico do Iraque e do Levante), se declarou califa.

Em uma nota, a família de Sotloff disse acreditar nas imagens e que não faria mais comentários.

Foley

Em 19 de agosto, o grupo publicou um vídeo mostrando a decapitação de Foley. O grupo disse que a morte do jornalista era uma resposta aos ataques aéreos dos EUA contra combatentes do EI no Iraque. O vídeo da decapitação de Foley foi divulgado depois dos primeiros ataques aéreos no Iraque desde o fim da ocupação norte-americana, em 2011.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo