Radicais fazem reféns no Golã, afirma ONU

Por lyafichmann
Soldados israelenses se posicionam no Golã | Ronen Zvulun/Reuters Soldados israelenses se posicionam
no Golã | Ronen Zvulun/Reuters

Um grupo de 43 soldados de uma missão pacificadora da ONU nas Colinas de Golã, região síria sob ocupação israelense, foi detido por militantes da Frente Nusra, grupo ramificação da Al-Qaeda na Síria. A ONU disse que está trabalhando para garantir sua libertação.

“Durante um período de intensificação da luta, iniciado nesta quarta-feira, entre elementos armados e as Forças Armadas da Síria dentro da área de separação nas Colinas de Golã, 43 integrantes das forças de paz da Undof (Força das Nações Unidas de Observação e Separação), foram detidos na madrugada desta quinta-feira por um grupo armado nas proximidades de Kuneitra”, disse a assessoria de imprensa da ONU em um comunicado, em referência ao ponto de passagem na divisa entre a Síria e o lado israelense da Colinas do Golã.

Os rebeldes enfrentam o Exército do presidente sírio, Bashar al-Assad, mergulhado há três anos em uma guerra civil que já matou mais de 200 mil pessoas, segundo a ONU.

Israel

Em Israel, duas pessoas ficaram feridas, um civil e um militar, por balas perdidas disparadas no confronto entre militantes da Frente Nusra e o Exército sírio. O Exército israelense posicionou tanques e soldados na região.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo