Nigéria anuncia nova morte por vírus Ebola

Por Nadia
Número de casos já passa de 3 mil | 2Tango/Reuters Número de casos já passa de 3 mil | 2Tango/Reuters

A Nigéria informou hoje que um médico morreu infectado pelo vírus ebola na cidade petrolífera de Port-Harcourt, no sudeste. É a sexta morte no país e o primeiro caso fora da cidade de Lagos, maior cidade nigeriana.

De acordo com o ministro da Saúde nigeriano, Onyebuchi Chukwu, o médico morreu sexta-feira passada, dia 22, depois de ter tratado um paciente que teve contato com o primeiro caso de ebola no país.

“Depois de sua mulher ter anunciado a morte [no sábado, dia 23], uma investigação profunda foi feita e análises em laboratório mostraram que o médico morreu devido ao vírus ebola”, disse o ministro hoje em Abuja.

Com 15 casos confirmados, segundo o novo balanço do Ministério da Saúde, a Nigéria registrou o primeiro caso em 20 de julho, em um norte-americano-liberiano, que morreu em Lagos cinco dias depois de sua chegada.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que até 26 de agosto morreram 1.552 pessoas das 3.069 que contraíram o vírus ebola em quatro países da África ocidental.

Número de mortos por Ebola chega a 1.552, diz OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) contabiliza 3.069 casos de ebola, incluindo 1.552 mortes, em quatro países da África ocidental, de acordo com balanço concluído terça-feira (26) e divulgado hoje (28).

O balanço anterior da epidemia, que continua a avançar de “forma acelerada”, mostrava a existência de 2.615 casos e 1.427 mortes, em 20 de agosto.

Mais de 40% do número total de casos foram registrados nos últimos 21 dias e estão concentrados em algumas localidades, acrescenta a OMS.

O ebola tem taxa de mortalidade média de 52%, variando entre 42% em Serra Leoa e 66% na Guiné-Conacri.

A OMS cita, no balanço, que uma epidemia diferente, sem relação com a dos quatro países da África ocidental, foi observada, em 24 de agosto, pela República Democrática do Congo. Os dados referentes a essa epidemia não estão incluídos no levantamento de hoje da organização.

Na Guiné-Conacri, onde a epidemia de Ébola foi registrada primeiro no início deste ano, as autoridades contabilizam 648 casos e 430 mortes. Na Libéria, são 1.378 casos e 694 mortes. Em Serra Leoa, o balanço é 1.026 casos e 422 mortes, enquanto na Nigéria há 17 casos, com seis mortos.

Brasil vai enviar ajuda à Libéria para conter epidemia

Mais um país africano terá ajuda do Brasil para conter a epidemia de Ebola. Depois da Guiné, Serra Leoa vai receber remédios, soro, máscaras e luvas.

A doença, transmitida pelo contato com sangue e fluidos, como saliva e suor de pessoas contaminadas, já  matou 1400 pessoas e infectou quase três mil.

Os kits do governo brasileiro têm mais de uma tonelada de luvas, máscaras, aventais, remédios e soros. O carregamento é suficiente para 500 pessoas durante três meses.

O próximo país a receber a ajuda do Brasil será a Libéria. Além do material, R$ 1 milhão também foi doado para ajudar a OMS (Organização Mundial de Saúde) a prevenir a transmissão do vírus, que, segundo o Ministro da Saúde, é muito difícil chegar ao território brasileiro.

A OMS recomenda que sejam feitas triagens de passageiros vindos dos países infectados em aeroportos e portos.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo