Segunda vítima dos EUA infectada pelo Ebola volta aos EUA

Por Nadia
Imagem mostra morfologia do vírus | Cynthia Goldsmith/CDC/Handout via Reuters/Reuters Imagem mostra morfologia do vírus | Cynthia Goldsmith/CDC/Handout via Reuters/Reuters

O avião com a segunda vítima norte-americana infectada com o vírus ebola, a missionária Nancy Writebol, chegou nesta terça-feira (5) em Atlanta, nos Estados Unidos, onde será tratada no mesmo hospital que o médico Kent Brantly, também infectado.

O avião que transporta Writebol, de 59 anos, aterrissou ao meio-dia, na Base Militar de Dobbins Air, de onde a doente será transportada para o Hospital da Universidade Emory de Atlanta, informou a imprensa norte-americana.

O avião, com uma sala de isolamento necessária para o transporte, só tem capacidade para uma pessoa, por isso teve de regressar à Libéria para transportar Writebol, depois de deixar Brantly no centro médico no sábado (2).

Bruce Johnson, o presidente de SIM USA, associação de ajuda humanitária para a qual trabalha Writebol, disse que ela está conseguindo andar.

Tom Frieden, diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, informou, nessa segunda-feira (4), que Brantly, de 33 anos, apresenta sinais de melhora, o que considera “encorajador”.

Brantly e Writebol desenvolveram os sintomas do ebola – febre, vômitos e diarreia – durante o trabalho na Libéria. Análises do sangue confirmaram que eles tinham a doença, no fim de julho.

O surto de ebola é o maior registrado até agora e, segundo dados da Organização Mundial da Saúde divulgados hoje, já infetou 1.603 pessoas, das quais 887 morreram na Serra Leoa, Guiné e Libéria, os três países mais afetados.

Nigéria tem 8 casos de ebola

A cidade nigeriana de Lagos registrou ontem oito novos casos suspeitos de ebola, todos em pessoas que entraram em contato com a primeira vítima fatal da doença no país. A informação foi divulgada pelo comissário de saúde da Nigéria, Jide Idris, segundo quem um dos casos está confirmado.

Autoridades têm monitorado todas as pessoas que tiveram algum contato próximo com Patrick Sawyer, um cidadão da Libéria e dos EUA que morreu em Lagos no mês passado, pouco depois de desembarcar no aeroporto da cidade. O segundo caso foi confirmado em um médico que o tratou.

Idris também disse que outras seis pessoas que tiveram contato com Sawyer se encontram em quarentena, mas não manifestavam sintomas.

Cerca de 900 pessoas morreram desde fevereiro na Nigéria e em outros três países do oeste da África no que já é o pior surto de ebola da história. A taxa de mortalidade da epidemia atual é de cerca de 60 por cento, dizem especialistas. A doença não tem cura comprovada.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo