Putin reage a sanções e quer proibir aviões de sobrevoar Rússia

Por lyafichmann
Presidente russo em reunião com gabinete | Alexei Druzhinin/Kremlin/Reuters Presidente russo em reunião com gabinete | Alexei Druzhinin/Kremlin/Reuters

O presidente russo, Vladimir Putin, determinou nesta terça-feira que o governo prepare medidas retaliatórias contra a mais recente rodada de sanções impostas pelo Ocidente, segundo agências de notícias do país. “Claro, isso deve ser feito cuidadosamente para apoiar os produtores nacionais e não prejudicar os consumidores”, disse Putin, segundo as agências.

O premiê Dmitry Medvedev ameaçou retaliar à proibição de voo à subsidiária de uma companhia aérea nacional afetada pelas sanções da UE. “Devemos discutir uma possível retaliação”, disse Medvedev.

Segundo o jornal russo de negócios “Vedomosti”, voos de companhias aéreas europeias para a Ásia poderiam ser impedidos de sobrevoar a Sibéria em rotas asiáticas, gerando custos adicionais com combustível e tornando os voos mais demorados.

Refugiados

O Acnur (Alto Comissariado da ONU para Refugiados) disse que cerca de 730 mil ucranianos fugiram para a Rússia este ano em função dos combates no leste da Ucrânia.

Segundo o diretor europeu do Acnur, Vincent Cochetel, outras 117 mil pessoas estão desabrigadas no interior da Ucrânia.

Fronteira

O chanceler polonês, Radoslaw Sikorski, disse que a Rússia mobilizou forças militares na fronteira com a Ucrânia como medida para pressionar ou invadir o país vizinho. “Infelizmente, a Rússia retomou sua capacidade de combate na fronteira com a Ucrânia”, disse Sikorski à emissora TVN24, segundo a Reuters.

“Há muitos grupos de batalhão lá. Há uma grande concentração de equipamentos militares. Essas coisas estão sendo feitas apenas para exercer pressão. Ou para entrar”, disse. Segundo ele, “saberemos muito rapidamente” qual será o desfecho.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo