Líder das Avós da Praça de Maio encontra neto desaparecido na Argentina

Por fabiosaraiva
Estela de Carlotto em imagem de março deste ano | Marcos Brindicci/Reuters/Arquivo Estela de Carlotto em imagem de março deste ano | Marcos Brindicci/Reuters/Arquivo

A presidente da organização humanitária Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, reencontrou nesta terça-feira seu neto, de 36 anos, que tinha sido roubado pela ditadura argentina (1976/83) logo depois do nascimento, enquanto sua mãe era mantida em poder dos militares, anunciou um familiar.

Kivo Carlotto, filho de Estela e tio do homem encontrado, disse ao canal Todo Noticias: “O resultado é positivo. Encontramos o meu sobrinho depois de 35 anos. Ele se apresentou voluntariamente, submeteu-se a um exame de DNA e deu 99,9% de compatibilidade. É uma emoção enorme”. Kivo também é secretário de Direitos Humanos da província de Buenos Aires.

A mãe deu o nome de Guido à criança, que depois seria roubada pela ditadura. Laura Carlotto foi sequestrada durante a gravidez. Ela foi assassinada no dia 26 de junho de 1978, pouco tempo depois de dar à luz, segundo o relato de uma companheira de cativeiro.

Desde deste momento, Estela de Carlotto procurava seu neto, certa de que ele estava vivo. “É um choque terrível para ele. Mas ele se apresentou voluntariamente e está tudo bem”, acrescentou Kivo Carlotto, antes de a líder da organização humanitária se manifestar em uma entrevista coletiva à imprensa convocada para esta terça à tarde.

A organização Avós da Praça de Maio nasceu em outubro de 1977 como uma organização próxima das Mães da Praça de Maio, quando algumas mães de desaparecidos deram prioridade à busca por seus netos, sequestrados junto com seus pais ou bebês nascidos nos centros de tortura e extermínio, hoje adultos.

O neto de Carlotto é o 111° encontrado pelas Avós de cerca de 500 bebês e crianças que foram roubados por repressores ou por seus cúmplices durante a ditadura.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo