Ataque em escola de Gaza fere 15; Israel convoca 16 mil soldados

Por Carolina Santos

Um ataque de Israel a uma mesquita, no campo de Janaliya, no norte da Faixa de Gaza, atingiu também uma escola administrada pelas Nações Unidas. Quinze pessoas ficaram feridas. O fato acontece um dia após o ataque a outra escola, na mesma região, matar 20 pessoas e gerar indignação internacional.

A ONU mantém 83 escolas no território palestino, que em épocas de guerra são usadas para abrigar refugiados. Israel acusa o Hamas de esconder munição e foguetes nesses locais. E de disparar a partir deles, usando os civis como escudos humanos.

Leia também:
•ONU acusa EUA de fornecer artilharia pesada a Israel

Israel convoca 16 mil soldados

16 mil soldados israelenses foram convocados | Siegfried Modola/Reuters 16 mil soldados israelenses foram convocados | Siegfried Modola/Reuters

O exército israelense mobilizou 16 mil reservistas adicionais, elevando seu número de efetivos a 86 mil em meio ao prosseguimento da ofensiva militar contra a Faixa de Gaza que começou no dia 8 de julho, anunciou nesta quinta-feira um porta-voz militar.

“O exército lançou 16 mil ordens de mobilização suplementares com o objetivo de permitir dar um alívio às tropas que se encontram em terra, o que eleva o total de efetivos de reservistas a 86 mil”, declarou o porta-voz.

O gabinete de segurança, reunido na quarta-feira durante cinco horas, decidiu por unanimidade prosseguir com os ataques contra alvos terroristas do Hamas e as operações realizadas para neutralizar os túneis cavados pelo movimento islamita entre a Faixa de Gaza e o território israelense, indicou a rádio pública.

Uma nova reunião deste gabinete, integrado por oito ministros, está prevista para a tarde desta quinta-feira, disse a rádio.

Citado por ela, um general encarregado das operações no setor do reduto palestino disse que a destruição dos túneis seria apenas uma questão de dias.

Veja imagens do conflito:

[metrogallerymaker id=”240″]

Loading...
Revisa el siguiente artículo