Ucrânia quer liberação de coronel; Rússia pronta para atacar

Por Tercio Braga
Coronel Yuri Mamtchur, comandante da base de Belbek, invadida neste sábado | Vasily Fedosenko/Reuters Coronel Yuri Mamtchur, comandante da base de Belbek, invadida neste sábado | Vasily Fedosenko/Reuters

O presidente interino ucraniano, Olexander Turchynov, exigiu neste domingo a libertação “imediata” do coronel Iuri Mamtchur, comandante da base de Belbek, na Crimeia, invadida por forças pró-russas no sábado.

Turchynov confirmou, com isso, que o oficial está detido, como havia informado a imprensa ucraniana no dia anterior. Ele alertou depois para as “provocações”, a “chantagem” e os “sequestros de cidadãos ucranianos e militares” praticados, segundo o presidente interino da Ucrânia, “pelo contingente invasor” na Crimeia que “tenta ocupar bases ucranianas”.

Ele advertiu que tinha dado aos “serviços competentes” a ordem de preparar “medidas de resposta apropriadas”.

As forças pró-russas sequestraram na última quarta-feira na Crimeia, por um breve período, o comandante da Marinha ucraniana, contra-almirante Serguei Gaiduk. Outros ucranianos, partidários da unidade nacional, considerados “reféns” por Kiev, também foram liberados.

Pronta para o ataque

As tropas russas de Vladimir Putin estão preparadas para atacar a Ucrânia “a qualquer momento”, declarou neste domingo o secretário do Conselho de Segurança Nacional e de Defesa ucraniano, Andrei Parubi.

“O alvo de Putin não é a Crimeia, mas toda a Ucrânia (…). Suas tropas mobilizadas na fronteira estão preparadas para atacar a qualquer momento”, declarou Parubi diante de milhares de pessoas no centro de Kiev.

“O invasor pode cruzar a fronteira em qualquer dia. Na imaginação maníaca de Putin, a Ucrânia deve fazer parte da Rússia”, acrescentou.

Cerca de cinco mil pessoas estavam na Maidan, a Praça da Independência do centro da capital. Cartazes com as frases “Otan” e “Fora Putin!” eram exibidas.

Já o Ministério russo da Defesa indicou neste domingo que vai respeitar os acordos relativos ao número de tropas nas zonas na fronteira com a Ucrânia.

“O Ministério russo da Defesa respeita todos os acordos internacionais sobre a limitação do número de tropas nas regiões fronteiriças”, declarou o vice-ministro da Defesa Anatoli Antonov, citado pela agência Ria Novosti.

Segundo ele, esta questão foi levantada em diversas oportunidades durante conversas por telefone entre o ministro russo da Defesa, Serguei Choigu e seus homólogos americano Chuck Hagel e ucraniano Igor Teniukh.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo