Venezuela sofre onda de saques a lojas nesta terça

Por george.ferreira

Uma onda de saques abalou, na madrugada de terça-feira, algumas cidades dos estados de Aragua, Táchira e Zulia, no centro e no leste da Venezuela, informaram as autoridades locais, após três semanas de protestos estudantis, que deixaram 14 mortos. “Durante a noite, grupos armados e violentos atacaram propriedades privadas e destruíram algumas lojas”, informou o governador do estado de Aragua, Tareck El Aissami.

Leia mais:

Venezuela pretende nomear novo embaixador para os EUA

O Ministério Público confirmou uma morte em Aragua, onde uma pessoa que foi baleada. Não foi esclarecido, porém, se o incidente ocorreu durante protestos ou em um assalto comum.

O presidente da associação empresarial Fedecámaras, no estado de Táchira, Daniel Aguilar, lamentou que, apesar da militarização decretada pelo presidente Nicolás Maduro, “nas ruas permanecem pessoas desconhecidas saqueando pontos comerciais e empresas”.

No estado de Zulia, o diretor da polícia de Maracaibo, José Alcalá, informou que 23 pessoas foram detidas por tentativa de saque a oito pontos comerciais. “Não queriam apenas roubar os artigos, mas também queimar os carros do Corpo da Polícia de Zulia”, destacou Alcalá.

Três semanas de protestos na Venezuela contra o governo Maduro já deixaram 14 mortos, 140 feridos e 45 detidos, em várias regiões do país.

A onda de manifestações teve início em fevereiro, na cidade de San Cristóbal, quando estudantes protestaram contra a insegurança após a tentativa de estupro de uma universitária. Maduro afirma que os protestos são um “golpe de Estado em desenvolvimento”, mas garante que há apenas alguns “focos de violência” no país.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo