Ucrânia corrige o curso em direção à União Europeia

Por Caio Cuccino Teixeira
O presidente interino Oleksander Turchinov | Alex Kuzmin/Reuters O presidente interino Oleksander Turchinov | Alex Kuzmin/Reuters

O novo presidente interino da Ucrânia se comprometeu a colocar o país de volta ao curso da integração europeia agora que Viktor Yanukovich, apoiado pela Rússia, foi deposto. Ao mesmo tempo, os Estados Unidos alertaram a Rússia sobre mandar suas forças ao país.

Veja também
Oposição responsabiliza líder pela crise e distúrbios na Ucrânia
Embaixada tem plano para tirar brasileiros da Ucrânia

O presidente em exercício da Ucrânia, Oleksander Turchinov, disse neste domingo que o país está pronto para conversar com a liderança da Rússia para tentar melhorar as relações, mas deixou claro que a volta de Kiev à integração europeia é a prioridade.

Em discurso à nação, Turchinov disse que a nova liderança ucraniana está pronta para um diálogo com a Rússia para colocar as relações em “um patamar novo, equilibrado e de boa vizinhança, que reconheça e leve em consideração a escolha europeia da Ucrânia”.

Um dia depois de Yanukovich fugir para o leste de língua russa, após dezenas de mortes durante os protestos de rua que pediam sua deposição, o parlamento nomeou o presidente do Patrlamento Turchinov como chefe de Estado interino. Aliado de longa data da ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko, ele pretende empossar amanhã um governo que ficará no poder até uma eleição presidencial em 25 de maio.

Mas quem assumir o comando como primeiro-ministro interino enfrentará um desafio para satisfazer as expectativas populares e vai encontrar uma economia em profunda crise, mesmo que a UE faça novas ofertas de ajuda.

O outro lado – Rússia vai ouvir embaixador

A Rússia disse neste domingo que chamou de volta a Moscou seu embaixador na Ucrânia para consultas sobre a “deterioração da situação” em Kiev, um dia após a derrubada do presidente Viktor Yanukovich. “Devido à deterioração da situação na Ucrânia e a necessidade de uma análise global da situação, a decisão foi tomada de chamar o embaixador russo para a Ucrânia para consultas em Moscou”, disse o ministério.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse no domingo ao secretário de Estado norte-americano, John Kerry, que os opositores de Viktor Yanukovich na Ucrânia descumpriram um acordo de paz que assinaram na sexta-feira e que eles tomaram o poder de maneira ilegal.

Manifestantes se reúnem na praça da Independência, em Kiev, sob imagem de Yulia Tymoshenko | Y. Behrakis/Reuters Manifestantes se reúnem na praça da Independência, em Kiev, sob imagem de Yulia Tymoshenko | Y. Behrakis/Reuters

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo