Parlamento destitui presidente da Ucrânia e marca novas eleições

Por Tercio Braga
Um dos líderes da oposição, Vitaly Klitschko cumprimenta manifestantes em Kiev | Vasily Fedosenko/Reuters Um dos líderes da oposição, Vitaly Klitschko cumprimenta manifestantes em Kiev | Vasily Fedosenko/Reuters

O parlamento ucraniano votou, neste sábado, uma resolução estabelecendo para o dia 25 de maio uma eleição presidencial antecipada porque o presidente “não cumpre mais suas funções”, segundo imagens transmitidas pela televisão. O presidente Viktor Yanukovytch – que foi destituído – havia afirmado anteriormente em Kharkiv que não tinha “intenção” de renunciar e chamou o Parlamento de “ilegítimo”, no momento em que a Ucrânia atravessa uma crise política sem precedentes.

Segundo o novo presidente do Parlamento, Olexandre Turtchinov, o deputado da oposição Arseni Yatseniuk tinha conversado por telefone no início da tarde com o presidente Yanukovytch, na presença de outros deputados. Ele propôs que o chefe de Estado apresente imediatamente sua renúncia, o que teria sido aceito pelo presidente.

Yanukovytch parece ter consultado alguém, mudado de ideia, e, depois, divulgado um vídeo “pré-gravado” na qual ele declara que não quer renunciar, explicou Turtchinov, que tinha sido eleito no início da manhã para assumir o lugar do presidente. “Nosso Estado não pode depender do humor de um presidente que deixou suas funções e foi para um lugar que ninguém sabe onde fica”, afirmou ele na tribuna.

“Yanukovytch deixou seu posto e não cumpriu mais suas funções”, indicou a resolução adotada pelos deputados. “A eleição está marcada para o dia 25 de maio”. O texto foi adotado por 328 votos em um total de 450 assentos.

O parlamento depois votou pela nomeação de novas autoridades, do procurador-geral, do ministro da Defesa e do chefe dos serviços de segurança do Estado. A votação foi realizada na presença do representante da União Europeia na Ucrânia, Jan Tombinski.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo