Embaixada tem plano para tirar brasileiros da Ucrânia

Por Tercio Braga
Multidão na praça de Kiev  | Baz Ratner/Reuters Multidão na praça de Kiev | Baz Ratner/Reuters

Brasileiros podem ser retirados da Ucrânia caso seja necessário, disse, em entrevista exclusiva à BandNews FM o embaixador do país na nação europeia Antonio Fernando Cruz de Melo. “Eu acredito que, na hipótese de necessidade, nós teremos, sim, um plano de evacuação. Eu não posso dizer exatamente o plano, mas está pensado se houver a necessidade de operarmos”, afirmou. Em caso de um cenário extremo em território ucraniano, Melo diz que a embaixada funcionará “como um comandante de um navio”. “É a última que sai”.

Leia mais
• Líder da oposição, Yulia Tymochenko é recebida com festa em Kiev
• Parlamento destitui presidente da Ucrânia e marca novas eleições

Nos últimos dias, a Ucrânia tem vivido intensos conflitos internos, que já causaram a morte de cerca de 80 pessoas. A crise começou em novembro, quando o governo decidiu suspender subitamente as negociações de associação com a UE (União Europeia) e estreitar as relações econômicas com a Rússia.

O embaixador recomenda que os brasileiros não viagem à Ucrânia neste momento. “Não vá. Não vá. A minha recomendação é não vá. Não é o momento de ir à Ucrânia”, aponta o embaixador. “Há bloqueios em estradas, há alguns momentos de bloqueios em aeroportos. Acho que nós devemos deixar a poeira assentar um pouco, ver o que vai acontecer, quais são as tendências do tabuleiro para que possamos, então, ter outra definição”.

Até o momento, a embaixada não foi procurada por nenhum brasileiro que habita a Ucrânia, segundo Melo. Ele lembra que a grande colônia do Brasil no país é de jogadores de futebol – cerca de 100. “Eles estão lá com suas famílias. E, até agora, não foi pedido nenhum apoio . Em suma, até agora, nós não tivemos nenhuma manifestação nesse sentido. Acredito que nada tenha ocorrido com nenhum brasileiro”.

O embaixador está em férias no Rio de Janeiro e retorna para Kiev, capital ucraniana, na segunda-feira. “Eu estou fora do país, mas todo dia mantenho contato com a embaixada. A situação é muito delicada”.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo