Venezuela repudia declarações de Obama sobre as manifestações

Por Tercio Braga
Maduro tem sido alvo de críticas de vários governos pelo Mundo | Miraflores Palace/Reuters Maduro tem sido alvo de críticas de vários governos pelo Mundo | Miraflores Palace/Reuters

A Chancelaria venezuelana divulgou nesta quinta-feira uma nota de repúdio às declarações do presidente norte-americano, Barack Obama, sobre as manifestações na Venezuela. “Repudiamos a ingerência grosseira do presidente dos Estados Unidos, nos assuntos internos da Nação [Venezuela]”, diz o comunicado.

Leia também
• Opositor do governo venezuelano, López fica preso até julgamento
• 31 jornalistas foram atacados na Venezuela, diz SNTP
• Após 6 mortes, Nicolás Maduro pode decretar estado de exceção

O texto pede que o governo dos Estados Unidos explique “por que financia, alenta e defende os dirigentes opositores que promovem a violência”. A chancelaria venezuelana disse que o governo americano continua “atacando um país livre e soberano da América Latina, cujas políticas, orientações e decisões são resultado da vontade popular, expressa democraticamente”.

O governo de Nicolás Maduro denunciou, após os protestos, a suspeita de envolvimento de diplomatas norte-americanos no financiamento e apoio aos atos violentos realizados durante as manifestações estudantis no país. Por isso, três diplomatas foram expulsos do país no começo dessa semana.

O governo venezuelano afirmou que continuará monitorando e tomando as providências necessárias para “impedir que agentes americanos implantem a violência e a desestabilização no país”

Críticas de Obama

Obama condenou a violência na Venezuela e apelou ao governo do país para que os manifestantes presos sejam libertados. Para o presidente norte-americano, a violência no país é “inaceitável” e os Estados Unidos, juntamente com a Organização dos Estados Americanos (OEA), pedem que o governo do país promova o diálogo.

Em entrevista à imprensa no final de uma reunião de cúpula de líderes da América do Norte em Toluca, no México, Obama pediu que o governo de Nicolás Maduro atenda às reclamações legítimas do seu povo em vez de desviar a atenção expulsando diplomatas norte-americanos com “falsas acusações”.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo