Ucraniano que sequestrou avião é acusado por tribunal turco

Por fabiosaraiva
Aeroporto Sabiha Gokcen em Istambul, na Turquia | Osman Orsal/Reuters Aeroporto Sabiha Gokcen em Istambul, na Turquia | Osman Orsal/Reuters

O ucraniano que na sexta-feira tentou desviar um avião turco em direção a Sochi, onde acontecem os Jogos Olímpicos de Inverno, foi acusado neste domingo à noite por um tribunal de Istambul e colocado em prisão preventiva.

Leia mais:

Avião é obrigado a pousar na Turquia após ameaça de bomba

Não foram indicadas quais acusações foram feitas contra o ucraniano, mas deve tratar-se de “pirataria aérea”, um crime punível com até 20 anos de prisão nos termos do código penal turco, segundo os especialistas.

O homem de 45 anos é interrogado desde sexta-feira à noite pela polícia anti-terrorista turca. Ele está detido em uma prisão na cidade. Em seu país, o ucraniano está sendo investigado por “ameaça de cometimento de ato terrorista”.

De acordo com os serviços especiais ucranianos, o indivíduo “exigia o desvio do avião para Sochi, onde estavam Putin e Yanukovytch que, segundo ele, têm as mãos manchadas de sangue”. Os confrontos em Kiev deixaram ao menos quatro mortos e 500 feridos em janeiro. A oposição ucraniana considera como reféns os manifestantes detidos durante os protestos contra o governo.

O responsável pelos serviços especiais afirmou ainda que o homem “exigia a libertação de todos os reféns na Ucrânia e ameaçava, caso isso não ocorresse, explodir o avião”. Esse passageiro foi detido pelas forças especiais turcas algumas horas após a aterrissagem do Boeing 737 da companhia aérea turca Pegasus no aeroporto de Sabiha Gökçen, no lado asiático de Istambul.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo