Reunião da Celac termina com nota de apoio a Cuba

Por Caio Cuccino Teixeira
Líderes regionais participam de uma sessão do encontro | A. Roque/Reuters Líderes regionais participam de uma sessão do encontro | A. Roque/Reuters

Líderes latino-americanos se comprometeram nesta quarta-feira, em Havana, a respeitar o direito de todos os países da região a escolher os seus próprios sistemas políticos. Trata-se de uma declaração notável principalmente por aceitar Cuba como o único Estado de partido único no hemisfério ocidental.

Cuba sedia a reunião de cúpula da Celac (Comunidade de Estados da América Latina e do Caribe), que reúne os 33 países da região que concordaram na declaração de “respeitar plenamente o direito inalienável de cada Estado para escolher seu sistema político”. Eles também concordaram em “não intervir, direta ou indiretamente, nos assuntos internos de qualquer outro Estado e observar os princípios da soberania nacional”.

A cúpula da Celac, que exclui os Estados Unidos e Canadá, foi uma ideia do falecido presidente da Venezuela, Hugo Chávez. E foi criada como um contraponto à OEA (Organização dos Estados Americanos), com sede em Washington e forte hegemonia norte-americana. O segundo encontro anual do organismo latino-americano e caribenho, que durou dois dias, foi concluído ontem na capital cubana.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo