Atirador de shopping nos EUA é identificado pela polícia

Por Caio Cuccino Teixeira
Ataque a shopping perto de Washington deixou três pessoas mortas no sábado | Robert Brune/Reuters Ataque a shopping perto de Washington deixou três pessoas mortas no sábado | Robert Brune/Reuters

O homem que abriu fogo num shopping center perto de Washington no sábado, matando duas pessoas antes de tirar a própria vida, tinha 19 anos e portava um rifle e explosivos caseiros, informou a polícia neste domingo.

Dario Marcus Aguilar disparou cerca de oito vezes durante seu ataque no Columbia Mall no sábado, matando dois funcionários de uma loja de skates, informou o chefe de polícia Bill McMahon.

A polícia está investigando se o atirador, que morava em College Park, Maryland, tinha alguma relação com as vítimas. “Assim que estabelecermos se há alguma relação ou não, certamente poderemos identificar a próxima grande pergunta do caso que é por que isso aconteceu”, afirmou ainda.

A polícia identificou as vítimas como Brianna Benlolo, 21 anos, também de College Park, e Tyler Johnson, 25, de Ellicott City, Maryland. Os dois trabalhavam na loja de skates Zumiez.

Cinco vítimas com ferimentos foram tratadas e liberadas, segundo o hospital Howard County General. Uma delas foi baleada no pé.

Uma ligação para a emergência da polícia às 14h15 (horário de Brasília) alertou que foram ouvidos disparos no centro comercial de dois andares.

A imprensa norte-americana tinha informado então que o shopping, situado a cerca de 45 minutos da capital norte-americana, havia sido fechado para a polícia verificar se não havia outros atiradores à solta.

O shopping, com 200 lojas, é um centro popular que reúne famílias com crianças, já que tem um carrossel infantil interno e uma área de jogos.

Este tipo de matança é fenômeno comum nos Estados Unidos, o que provocou pedidos recentes do presidente Barack Obama e associações de direitos humanos para aumentar o controle das armas, uma proposta a qual se opõe categoricamente a Associação Nacional do Rifle (NRA, por suas siglas em inglês), o poderoso lobby que defende a tendência de armas no país.

Obama redobrou seus esforços para controlar a venda de armas em 2012, depois que 20 crianças e seis adultos morreram em uma chacina em uma escola em Connecticut (nordeste), mas seu projeto de lei fracassou no Congresso.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo