Poluição da China pode ser vista do espaço

Por Caio Cuccino Teixeira
Mapeamento de poluição na China foi feito via satélite | Stringer/Reuters Mapeamento de poluição na China foi feito via satélite | Stringer/Reuters

Pesquisadores anunciaram nesta sexta-feira a realização de um mapeamento da poluição do ar na China a partir do espaço pela primeira vez.

Cientistas atmosféricos belgas e franceses usaram um sensor infravermelho a bordo do satélite climático europeu MetOp para mapear nuvens de material particulado e de dióxido de carbono, dióxido de enxofre e amônia sobre a planície norte da China, que abrange Pequim, Tianjin e a província de Hebei, em janeiro de 2013.

Os especialistas se surpreenderam ao ver que a tecnologia funciona, mas descobriram que seu sucesso também depende de duas condições, indicou o CNRS (Centro Nacional de Pesquisa Espacial francês).

É necessário que haja condições climáticas “estáveis” para que a poluição se acumule no nível do solo. Além disso, também é preciso haver uma grande diferença de temperaturas entre o ar no nível do solo e as camadas mais altas da atmosfera para que as emissões quentes de poluição se destaquem.

Os satélites podem ser uma ferramenta útil para monitorar a extensão das nuvens de poluição e prever seu movimento, ajudando as autoridades a alertar os habitantes em tempo.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo