Filha do rei da Espanha é acusada de crime fiscal e lavagem de dinheiro

Por BAND
Investigação que aponta cristina é feita desde 2010 | Daniel Aguilar | Reuters Investigação que aponta cristina é feita desde 2010 | Daniel Aguilar | Reuters

A infanta Cristina, filha mais nova do rei da Espanha, foi acusada nesta terça-feira de suposto crime fiscal e lavagem de dinheiro e foi convocada a depor no dia 8 de março, anunciou o tribunal de Palma de Mallorca. O juiz José Castro investiga sua participação em uma empresa da qual ela era co-proprietária junto com seu marido, Iñaki Ungardarin, e através da qual supostamente foram desviados fundos públicos.

A investigação, realizada pelo juiz desde 2010, é a primeira que aponta diretamente para um membro da família real espanhola e contribuiu para deteriorar sua imagem entre a população. O juiz decidiu acusar a infanta, de 48 anos, apesar da oposição da procuradoria.

No início de 2012, José Castro já havia acusado Cristina uma primeira vez, mas a decisão foi suspensa pela procuradoria anticorrupção.

A investigação está concentrada nas atividades do marido da infanta, Iñaki Urdangarin, de 45 anos, suspeito de ter desviado 6,1 milhões de euros de dinheiro público entre 2004 e 2006 através do Instituto Noos, uma empresa sem fins lucrativos que dirigia junto com seu ex-sócio Diego Torres.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo