Italiana defende testes com animais na rede e sofre assédio de ativistas

Por Carolina Santos
Caterina diz que deve sua vida aos  testes | Reprodução/Facebook Caterina diz que deve sua vida aos
testes | Reprodução/Facebook

A italiana Caterina Simonsen, de 25 anos, foi assediada no Facebook depois de defender testes em animais em seu perfil na rede social. “Sem eles, eu teria morrido quando tinha 9 anos”, escreveu ela, cuja história tem dominado os jornais italianos e reportagens de TV.

Chocada com o tom das mensagens, Caterina, que tem uma doença respiratória e precisa usar tubos de oxigênio, fez um vídeo que foi transmitido repetidamente no domingo. “Eu quero ter um diploma para que possa ajudar a salvar os animais”, disse. Ela tem vários cães e está estudando para ser veterinária na Universidade de Bolonha.

“Recebi mensagens dizendo que a vida de 10 ratos são mais importantes do que a minha. Eu não sei em que planeta essas pessoas vivem e quem os criou”, disse ela, aos prantos. “Estou viva graças aos médicos, aos medicamentos e aos animais  sacrificados.”

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo