Último ativista do Greenpeace deixa a Rússia

Por Carolina Santos
Ativista Tomasz Sziemianczuk desembarca na Polônia | Konrad Konstantynowicz/ Greenpeace/Handout via Reuters / Reuters Ativista Tomasz Sziemianczuk desembarca na Polônia | Konrad Konstantynowicz/ Greenpeace/Handout via Reuters / Reuters

O último dos 26 militantes estrangeiros do Greenpeace anistiados pelas autoridades russas deixou neste domingo, dia 29, a Rússia. O polonês Tomasz Dziemianczuk embarcou 100 dias depois de ter sido detido com seus companheiros por uma ação no Ártico.

 

Em declaração divulgada pela ONG, ele declarou estar feliz em voltar para a casa e disse que a missão pela qual foi preso foi apenas “um grande início de nossa campanha no Ártico”.

 

Neste sábado, a ativista brasileira Ana Paula Maciel desembarcou com muita festa no Aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre. Ela também havia ficado presa pelas autoridades russas pelo ato contra o gigante do gás Gazprom.

 

“Temos a convicção de que fizemos o bem para proteger o planeta para esta e as futuras gerações. É uma vergonha um país permitir que tamanha injustiça tenha acontecido para defender os interesses das empresas de petróleo”, declarou Ana Paula.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo