Dono de empresa de próteses é condenado

Por fabiosaraiva
Jean-Claude Mas foi condenado na França | Jean-Paul Pelissier/Reuters Jean-Claude Mas foi condenado
na França | Jean-Paul Pelissier/Reuters

O fundador de uma empresa de próteses de silicone para os seios foi condenado nesta terça-feira a quatro anos de prisão por uma corte de Marselha, na França, por ter escondido a baixa qualidade do silicone usado em implantes vendidos para 300 mil mulheres ao redor do mundo.

A sentença contra Jean-Claude Mas, de 74 anos, fundador e diretor da PIP (Poly Implante Prothese), é o desfecho de um escândalo que causou pânico ao redor do   mundo em 2011, depois que a França recomendou às mulheres com os implantes que o removessem devido a uma alta taxa de ruptura.

O tribunal condenou outros quatro acusados neste julgamento por fraude, todos ex-diretores da empresa, a penas entre 18 meses de prisão e três anos, em parte condicionais.

Jean-Claude Mas, de 74 anos, permaneceu impassível no anúncio do veredicto. Também foi condenado a pagar 75 mil euros de multa e a uma proibição definitiva de atuar no setor médico e de dirigir empresas.

Seu advogado, Yves Haddad, anunciou imediatamente que apelará da sentença, segundo a agência AFP. “Estou decepcionado, mas não surpreso”, disse, considerando que “desde o início o caso PIP foi o ‘caso Mas’”. “Não fomos ouvidos, a pressão era muito forte”, acrescentou. Uma das vítimas declarou que a sentença “tira um peso de seus ombros”.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo