Acordo deve conectar Mar Vermelho ao Mar Morto nesta segunda-feira

Por george.ferreira
Mar Morto pode secar até 2050, dizem especialistas | Nir-Elias / Reuters Mar Morto pode secar até 2050, dizem especialistas | Nir-Elias / Reuters

Representantes israelenses, jordanianos e palestinos assinarão nesta segunda-feira (9) um acordo “histórico” para conectar o Mar Vermelho com o Mar Morto.

O ministro da Energia e Desenvolvimento Regional de Israel, Silvan Shalom, afirmou à rádio militar que, com base neste acordo que será assinado no Banco Mundial em Washington, a água será retirada do Golfo de Aqaba, no extremo norte do Mar Vermelho.

Uma parte da água será dessalinizada para ser distribuída em Israel, Jordânia e territórios palestinos, enquanto o resto será transportado por quatro tubulações ao Mar Morto. Caso não receba água, o Mar Morto pode secar até 2050.

Shalom destacou os aspectos econômicos de abastecer com água dessalinizada barata os estados vizinhos, o aspecto ambiental de “salvar o Mar Morto” e o aspecto “estratégico e diplomático” do acordo, assinado em um momento difícil das negociações de paz entre israelenses e palestinos.

“É um grande avanço após vários anos de esforços. É um momento histórico”, disse.

Segundo o jornal Yediot Aharonot, o ministro da Água da Autoridade Palestina, Shaddad Attili, e seu colega jordaniano, Hazem Naser, assinarão o acordo com Shalom.

O ministro israelense afirmou que, depois da assinatura, será divulgada uma licitação internacional para todo o projeto – a construção da central de dessalinização em Aqaba e a instalação da primeira tubulação.

ONGs como a Amigos da Terra-Oriente Médio, porém, advertiram que uma grande afluência de água do Mar Vermelho poderia mudar o frágil ecossistema do Mar Morto, com a proliferação de algas vermelhas e a cristalização de gesso.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo