Rússia nega pedido de liberdade a brasileira

Por Carolina Santos
Ana Paula está presa há um mês na Rússia/ Divulgação/ Greenpeace/ Reuters Ana Paula está presa há um mês na Rússia/ Divulgação/ Greenpeace/ Reuters

A Justiça russa negou o pedido de liberdade provisória, mediante  pagamento de fiança, à brasileira Ana Paula Maciel. A ativista do Greenpeace, está detida com 29 pessoas desde 19 de setembro, sob a acusação de vandalismo.

Na decisão, o tribunal não considerou a carta de garantia assinada pelo embaixador brasileiro na Rússia, Fernando Barreto. Pelo documento, Ana Paula assegurava seu comparecimento ante autoridades durante as investigações. A liberdade provisória já havia sido negada aos outros ativistas.

A expectativa, agora, é que Ana Paula seja libertada em 24 de novembro, quando a polícia deve finalizar o inquérito. A brasileira estava em um barco que fazia um protesto contra a exploração de petróleo no Ártico.

Na quarta, o comitê de investigação russo mudou a acusação contra os ativistas do Greenpeace — que, antes, respondiam por pirataria. “Vamos contestar veementemente as acusações de vandalismo, assim como fizemos com as de pirataria. Ambas são fantasiosas”, disse a organização, em nota.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo