Exército e polícia do Quênia resgatam reféns em shopping

Por fabiosaraiva
Soldado patrulha entrada principal do centro comercial | Goran Tomasevic/Reuters Soldado patrulha entrada principal do centro comercial | Goran Tomasevic/Reuters

O Exército e a polícia do Quênia invadiram o Westgate Mall, na capital Nairóbi, para tentar pôr fim a um sequestro que começou na manhã de sábado. Segundo as autoridades, a “maioria” dos reféns havia sido libertada, e os soldados buscavam deter os terroristas, escondidos em um dos andares do edifício.

“Todos os esforços estão sendo feitos para trazer esse assunto a uma conclusão rápida”, informou o Exército queniano, pelo Twitter.

Até as 22h de ontem, não havia certeza sobre o número de reféns resgatados, tampouco sobre o total de mortos.

De acordo com a Cruz Vermelha, ao menos 68 pessoas perderam a vida no ataque, assumido pelos radicais do Al Shabab (leia mais ao lado).

A ação contra os frequentadores do shopping, em uma zona nobre da capital queniana, começou no sábado. Ao menos 10 membros do grupo terrorista entraram no centro comercial, atiraram em civis e fizeram cerca de 30 reféns. Pelo menos 175 pessoas ficaram feridas. Entre as vítimas fatais, estão o sobrinho e a namorada do presidente queniano, Uhuru Kenyatta. “Ninguém deve perder a vida tão desnecessariamente, por algo tão sem sentido. E nenhuma família deve receber a notícia de que seus entes queridos foram mortos por um bando de covardes”, disse o mandatário.

Também há estrangeiros entre os mortos. O local teria sido estrategicamente escolhido pelo Al Shabab, para chamar a atenção do mundo.

 

Ajuda

O governo queniano aceitou a oferta de ajuda internacional e unidades de elite dos exércitos israelense e americano se uniram à operação de resgate. Durante a tarde de ontem, testemunhas ouviram ao menos duas explosões no edifício.

Entre os extremistas que participaram do ataque, estariam três norte-americanos, dois somalis, um canadense, um finlandês e um britânico.

A lista de participantes do atentado terrorista chegou a ser publicada em um post no Twitter que, mais tarde, saiu do ar.

Os EUA prometeram ajudar a trazer os responsáveis pela ação à Justiça.

 

Quem são os extremistas do Al Shabab 

O ataque ao shopping de Nairóbi foi reivindicado pelo Al Shabab (em árabe “A Juventude”), um grupo vinculado à rede terrorista Al Qaeda. Seus militantes, que chegaram a ter o controle da capital da Somália (vizinha ao Quênia), hoje  se espalham por zonas rurais do território somali.

O Al Shabab tem promovido ataques contra o Quênia desde 2011, quando tropas do país entraram no sul da Somália para combater o grupo.

Nas zonas rurais do país, os extremistas do Al Shabab impõem a própria lei à população, apedrejando mulheres e recrutando crianças para seu exército.

Onde-fica-Quenia

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo