ONU colhe relatos de tortura na Coreia do Norte

Por Tercio Braga
O desertor Shin Dong-hyuk fala à comissão | Kim Hong-Ji/Reuters O desertor Shin Dong-hyuk fala à comissão | Kim Hong-Ji/Reuters

A ONU (Organização das Nações Unidas) começou a ouvir ontem relatos de ex-detentos norte-coreanos que conseguiram escapar do regime de Pyongyang.

Os desertores contaram histórias dramáticas. Shin Dong-hyuk, 30 anos, disse ter ficado aliviado ao ter o dedo arrancado, e não a mão inteira. Ele foi punido por deixar cair uma máquina de costura.

Jee Heon-a, 34 anos, disse que ela e outros prisioneiros comiam sapos para sobreviver. “Todos tinham os olhos fundos.” A ex-detenta contou sobre uma mãe obrigada a matar seu recém-nascido, afogado em uma vasilha.

Essa é a primeira vez que as histórias serão avaliadas por especialistas em direitos humanos, embora a Coreia do Norte não reconheça a comissão da ONU e não tenha autorizado visitas aos campos de prisioneiros.

Loading...
Revisa el siguiente artículo