O que fazer quando a luz do óleo acende no painel?

Por www.autopapo.com.br

A luz do óleo acendeu no painel? Pode ser algo muito grave e que pode provocar um prejuízo imenso. Veja a explicação:

Acendeu a luz do óleo no painel? Com óleo do motor não se brinca. Até você que não entende nada de carro sabe disso.

Você para no posto, abre o capô, puxa a varetinha e o nível está certíssimo.

Mas se acendeu a luz não é para completar o nível. Pode ser ou pode não ser.

Quando acende a luz do óleo no painel quer dizer que está faltando lubrificação. Pode ser o nível baixo, você completa e resolve. Mas pode ter também o problema de lubrificação. Está faltando pressão de óleo no motor. Nesse caso prepare-se: a probabilidade do motor vir a fundir se não resolver imediatamente o problema é grande.

Outra opção é rezar para que o problema não seja no sistema de lubrificação, mas só um probleminha elétrico que fez a luz acender sem necessidade.

arte óleo

Saiba o que NÃO fazer na hora de trocar o óleo do seu automóvel

1. Não misture óleos de bases diferentes: Tem que ser mineral, sintético ou semissintético, sem mistura.

2. Não coloque óleo mineral em motores feitos para óleo sintético: O óleo mineral é mais pesado e tem mais disposição para se transformar em borra. Se o carro curte um sintético, não dê outra coisa para ele.

Tem quem pense que completar com o sintético, mesmo se o recomendado for mineral, não tem problema. É um pensamento errado. É claro, que se houver apenas essa opção e for impositivo completar pode colocar outro tipo. Porém, assim que for possível (seja rápido!)  faça a troca  do óleo para tirar o misturado e usar o  indicado.

3. Não misture óleos com índices API diferentes: O API está relacionado aos aditivos do óleo, e se você misturar aditivos diferentes, é possível haver uma reação química entre eles que leva à formação de borra. Por isso, seja fiel ao óleo. Escolha um e fique com ele.

4. Não exceda o limite da troca em mais que 1.000km: Esta seria a margem de segurança final, mas é claro que o ideal é não arriscar e respeitar o limite.

5. Não use óleo de baixa qualidade: Entre as marcas mais conhecidas você estará seguro, mas óleos que só têm o preço de chamariz podem ser péssimo negócio.

6. Combustível adulterado: A gasosa ou o etanol podem estar adulterados, o que vai comprometer o óleo, alterando suas propriedades e sua capacidade de lubrificação.

7. Motores modernos: Os motores modernos geram mais potência ao mesmo tempo em que ocupam um espaço menor. Por isso, eles atingem temperaturas mais altas. Isso facilita a formação de borra e exige óleos sintéticos também mais modernos, além de maior atenção.

Fontes: Gerente técnico de lubrificantes da Shell, César Cerbam; diretor de lubrificantes da Ipiranga, Miguel Lacerda; e engenheiro Henrique Pereira, da Comissão Técnica de Motores Otto da Sociedade de Engenheiros da Mobilidade do Brasil (SAE).

Leia mais em: www.autopapo.com.br

Loading...
Revisa el siguiente artículo