Cuidar da mecânica garante a segurança e evita multas

Por Eliane Quinalia
/Folhapress
Cuidar da mecânica garante a segurança e evita multas

Não adianta dirigir com cuidado, respeitando todas as normas de trânsito, e não cuidar da mecânica do seu veículo. Estar atento ao desempenho do carro ou moto e fazer revisões periódicas também contribuem para garantir a segurança e conforto dos condutores e passageiros, além de evitar multas.

As revisões ou manutenções preventivas possuem um período pré-determinado pela montadora para serem feitas, seja de acordo com o tempo ou quilometragem do veículo. É importante respeitar estas marcas para evitar que possíveis problemas se agravem e até economizar dinheiro, diz o instrutor Alison Flamino de Aguiar, do Senai José Conde Vicente Azevedo.

“Realizar as manutenções preventivas evita quebras, que poderiam ser previstas pelo mecânico, por  consequência do uso. Quando estas manutenções preventivas não são respeitadas, aumentam os riscos de quebra repentina, de ruídos e consumo de combustível”, ele explica.

Também é importante levar o veículo a um mecânico de confiança na hora da revisão, como sugere o mestre em transportes e professor da Unicamp, Creso de Franco Peixoto. Ele também aconselha, depois da revisão, pedir um check-list do que foi feito e “uma relação por escrito da condição de todos os itens e equipamentos do automóvel. É importante guardar isso até para o caso de alguma dúvida sobre o que foi feito”.

Além disso, José Leles, doutor em engenharia do tráfego e presidente do Icetran (Instituto de Certificação e Estudos de Trânsito e Transporte), ainda recomenda fazer revisões completas antes de realizar viagens de carro longas. “Na rodovia, estamos em maior velocidade, não tem tanto lugar para parar em caso de problemas. É mais difícil se acontecer alguma coisa, então é melhor prevenir”

A atenção com o veículo não se limita às épocas da revisão. O cuidado deve ser constante. Lembre-se que existem problemas ou mau funcionamento do automóvel que não são sinalizados no painel. “O para-brisa, o pneu ou mesmo o cinto de segurança, se derem problema, o motorista só vai saber quando for usar. Esse que é o perigo. Se começa a chover, por exemplo, e o limpador de para-brisa não estiver funcionando, o condutor vai ficar sem visibilidade e pode provocar um acidente.”

E Leles ressalta, “não adianta nada estar com tudo certinho do ponto de vista da mecânica, e ser negligente ou desatento no trânsito”.

O carro quebrou, e agora?
Se o seu carro quebrar enquanto estiver dirigindo, mantenha a calma. Quando em áreas urbanas, ligue o pisca-alerta, caso ele esteja funcionando, pare o veículo num local seguro e chame o socorro.

No caso de estar numa rodovia, os cuidados devem ser maiores. Vá para o acostamento, ligue o pisca-alerta e coloque o triângulo atrás do veículo há, pelo menos, 30 metros de distância. Depois disso, permaneça fora do carro em frente a ele. “Os ocupantes precisam sair do veículo e ficar pelo menos 20 metros à frente dele. Nestes casos, é importante lembrar que o carro não é um abrigo, mas um alvo”, reforça o professor Peixoto.

Loading...
Revisa el siguiente artículo